domingo, 31 de janeiro de 2010

MENSAGEM




ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA

É com muita alegria que encerramos este mês de janeiro. São tantas as esperanças depositadas durante este primeiro mês do ano de 2010: é a Canção Nova com a sua luta para fechar a campanha; é a Igreja de Cristo anunciando o tempo da graça; é o pai de família que luta para conseguir cumprir todos os seus compromissos; é a mãe que nunca deixa de pensar em seus filhos e realizar o projeto de Deus em sua família; é o governo criando situações para humanizar a política e o desenvolvimento, buscando com isso oferecer as melhores condições de vida para o seu povo; é o jovem caminhando com Cristo em busca de um caminho que o leve a ser a resposta do Amor de Deus ao mundo; é a criança crescendo em ambientes dignos, com o respeito e carinho dos adultos, sendo tratadas e amadas como verdadeiras crianças; é o povo se unindo a cada dia, percebendo que o reino de Deus está sendo concretizado aqui neste mundo e todos estão se libertando da tirania do pecado, pois, descobriu-se que o cuidado e o zelo pelo outro, foi o passo fundamental para que Cristo fosse anunciado, proclamado, vivido e sacramentado aqui entre nós.
Estas são as esperanças enraizadaa no coração de cada membro da Comunidade Católica Pedras Vivas, certo de que Deus Pai da Misericórdia está conosco nesta batalha para concretizar Seu projeto de Amor e de Salvação.

Cristo seja louvado, adorado e glorificado...amém!

Carlos - Comunidade Católica Pedras Vivas

FORMAÇÕES




AS BEM AVENTURANÇAS

"Infelizes são aqueles que optam por uma vida longe do Cristo"

As promessas nas bem-aventuranças (cf. Mt 5,3) parecem ser dirigidas às pessoas que estão numa situação de desespero e que essas bem-aventuranças vêm de uma experiência cotidiana de não serem saciadas. Essas pessoas são literalmente desprovidas de bens materiais. Vivem numa situação de dificuldade econômica e social.


Pobre em espírito significa pobreza econômica, alguém sem recursos e sem esperança. Por isso, essa expressão – pobre em espírito – não pode ser tomada como alguém que aceita paciente ou humildemente a pobreza.


Ainda que a pessoa não seja pobre de bens materiais, de alguma coisa ela é pobre. Existem pobres materiais, mas também pobres por desânimo e por fraqueza. Com bens materiais ou sem eles, todos esses tipos de pobreza existem e, muitas vezes, também surgem por uma escolha de vida contrária à opção apresentada por Jesus.


Seja rico ou seja pobre, serão infelizes todos aqueles que optarem por uma vida longe do Cristo.


Denis Duarte
contato@denisduarte.com
Denis Duarte Especialista em Bíblia e Cientista da Religião.
www.denisduarte.com


FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: Jr 1,4-5.17-19 - Segunda leitura: 1Cor 12,31—13,13 - Salmo: Sl 70 -Evangelho: Lc 4,21-30

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Lc 4,21-30)

Domingo, 31 de Janeiro de 2010
4º Domingo do Tempo Comum

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, estando Jesus na sinagoga, começou a dizer: 21“Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”.
22Todos davam testemunho a seu respeito, admirados com as palavras cheias de encanto que saíam da sua boca. E diziam: “Não é este o filho de José?”
23Jesus, porém, disse: “Sem dúvida, vós me repetireis o provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo. Faze também aqui, em tua terra, tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum”.
24E acrescentou: “Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria.
25De fato, eu vos digo: no tempo do profeta Elias, quando não choveu durante três anos e seis meses e houve grande fome em toda a região, havia muitas viúvas em Israel. 26No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva que vivia em Sarepta, na Sidônia.
27E no tempo do profeta Eliseu, havia muitos leprosos em Israel. Contudo, nenhum deles foi curado, mas sim Naamã, o sírio”.
28Quando ouviram estas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. 29Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no até ao alto do monte sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de lançá-lo no precipício. 30Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA

JESUS REJEITADO EM SUA PRÓPRIA TERRA

Postado por: homilia
janeiro 31st, 2010

Hoje encontramos a resposta de várias perguntas que ficaram abertas no domingo anterior. Será mesmo que Jesus veio para instaurar o ano da remissão das dívidas (cf. Lc 4,19)? O Senhor teria desejado realizar materialmente essa utopia? Parece que Lucas, o único evangelista que aborda este tema, quer dizer algo mais. Na sua descrição, ele reúne diversos elementos. A citação de Is 61,1-3, na boca de Jesus (cf. Lc 4,16-19), tem por quadro uma combinação de Mc 1,21 (ensino na sinagoga) e 6,1-6 (rejeição em Nazaré). Percebemos uma correspondência de teor teológico entre o versículo 19, “um ano agradável da parte do Senhor”, e o versículo 24 “nenhum profeta é agradável em sua terra”. A citação do “ano da graça” não é relacionada, por Lucas, com uma mera reforma social, mas com a pessoa de Jesus mesmo. Cristo anuncia o “ano agradável da parte do Senhor”, a encarnação dos dons de Deus para Seu povo, especialmente para os pobres e humildes (cf. Dt 15).

Mas o povo de Nazaré não recebe com agrado o profeta que anuncia isso… Nazaré aplaude a mensagem do ano de remissão, mas rejeita aquilo que o profeta em pessoa representa: a salvação universal. A restauração dos empobrecidos é a porta de entrada da salvação universal, pois o que é para todos tem de começar com os últimos, os excluídos.

A rejeição acontece mansamente e devemos admirar novamente a arte narrativa de Lucas. Primeiro, o povo admira Jesus e as palavras d’Ele. Mas sua admiração é a negação daquilo que o Messias quer. Desconhecendo o “Filho de Deus”, tropeçam na sua origem por demais comum: “Não é este o filho de José?” Jesus toma a dianteira prevendo que eles apenas quererão ver Suas façanhas, como as feitas em Cafarnaum. Por isso, o Senhor lança um desafio: Ele não é um médico para uso caseiro. Como nenhum profeta é agradável à sua própria gente, a missão de Cristo ultrapassa os morros de Nazaré. E insiste: Elias, expulso de Israel, ajudou a viúva de Sarepta, na Finícia, e Eliseu curou o sírio Naamã… Os nazarenses, ciosos, não aguentam essas palavras e querem jogá-Lo no precipício (uma variante do apedrejamento). Mas Jesus, com a autoridade do Espírito, que repousa sobre Ele, passa no meio deles e vai adiante…

Nazaré perdeu sua oportunidade, prefigurando assim a sorte da “pátria” do judaísmo: “Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados, quantas vezes quis eu reunir teus filhos…” (Lc13,34-35) - “ Ah, se nesse dia conhecesses a mensagem da paz… Não conheceste o dia em que forte visitado!”

Trata-se da visita de Deus a Seu povo e a Seu santuário, que não foi “agradável”, “bem recebida”. Que a Palavra de Deus, neste quarto domingo do tempo comum – tempo de amadurecimento na fé – nos leve a acolher o Cristo na Sua totalidade. O grande sinal da presença do Altíssimo em nós é a vivência do amor concreto por cada um de nós, pois nada possui valor em nós se aí não existir a caridade. Caridade esta que não é sentimento – passa pelos sentimentos – mas acima de tudo é decisão.

Padre Marcos Pacheco
Comunidade Canção Nova

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO JOÃO BOSCO

31 de janeiro

Nasceu perto de Turim, na Itália, em 1815. Muito cedo conheceu o que significava a palavra sofrimento, pois perdeu o pai tendo apenas 2 anos. Sofreu incompreensões por causa de um irmão muito violento que teve.

Dom Bosco quis ser sacerdote, mas sua mãe o alertava: “Se você quer ser padre para ser rico, eu não vou visitá-lo, porque nasci na pobreza e quero morrer nela”. Logo, Dom Bosco foi crescendo diante do testemunho de sua mãe Margarida, uma mulher de oração e discernimento. Ele teve que sair muito cedo de casa, mas aquele seu desejo de ser padre o acompanhou. Com 26 anos de idade, ele recebeu a graça da ordenação sacerdotal.

Um homem carismático, Dom Bosco sofreu. Desde cedo, ele foi visitado por sonhos proféticos que só vieram a se realizar ao longo dos anos. Um homem sensível, de caridade com os jovens, se fez tudo para todos. Dom Bosco foi ao encontro da necessidade e da realidade daqueles jovens que não tinham onde viver, necessitavam de uma nova evangelização, de acolhimento. Um sacerdote corajoso, mas muito incompreendido. Foi chamado de louco por muitos devido à sua ousadia e à sua docilidade ao Divino Espírito Santo.

Dom Bosco, criador dos oratórios. Catequeses e orientações profissionais foram surgindo para os jovens. Enfim, Dom Bosco era um homem voltado para o céu e, por isso, enraizado com o sofrimento humano, especialmente, dos jovens. Grande devoto da Santíssima Virgem Auxiliadora, foi um homem de trabalho e oração. Exemplo para os jovens, foi pai e mestre, como encontramos citado na liturgia de hoje.

São João Bosco foi modelo, mas também soube observar tantos outros exemplos. Fundou a Congregação dos Salesianos dedicado à proteção de São Francisco de Sales, que foi o santo da mansidão. Isso que Dom Bosco foi também para aqueles jovens e para muitos, inclusive aqueles que não o compreendiam.

Para a Canção Nova, para a Igreja e para todos nós, é um grande intercessor, porque viveu a intimidade com Nosso Senhor.

Homem orante, de um trabalho santificado, em tudo viveu a inspiração de Deus. Deixou uma grande família, um grande exemplo de como viver na graça, fiel a Nosso Senhor Jesus Cristo.

Em 31 de janeiro de 1888, tendo se desgastado por amor a Deus e pela salvação das almas, ele partiu. Mas está conosco no seu testemunho e na sua intercessão.

São João Bosco, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

sábado, 30 de janeiro de 2010

MENSAGEM DO DIA




Sexta-Feira, 29 de janeiro 2010

TEMOS NECESSIDADE DE AMAR E SER AMADOS

Existe em você uma necessidade de amar e ser amado. Quanto maior a necessidade de amar, tanto maior a necessidade de ser amado. O inimigo de Deus, sabendo disso, para preencher nossa fome de amor nos apresenta a sucata de uma vida promíscua, prostituída, com desvios afetivos. Uma verdadeira sucata que não satisfaz nossa necessidade de amor e nos faz desviar para mil formas erradas.

Mas o Senhor precisa que nos amemos e Ele está disposto a nos treinar no amor. Tudo, porém, depende de nossa decisão.

Amar é uma questão de decisão e não de sentimento. Tanto amar a Deus como os outros é um ato de vontade; é uma decisão concreta.


Monsenhor Jonas Abib

FONTE: Canção Nova

REVOLUÇÃO JESUS




QUANTO CUSTA SUA BALADA?

40, 65, 150, 300 reais… Quanto você costuma pagar em uma noite de balada? No país em que o salário mínimo vale R$ 510,00, a galera gasta cada vez mais em festas e casas noturnas.

Com certeza você já ficou sem grana no meio do mês e te chamaram para a melhor balada de todas! Certeza, também, que você gastou muito na última saída e ficou sem nada na carteira. Calma! A galera desembolsa cada vez mais dinheiro em uma saída.


Mas a pergunta é:

Se gasta só dinheiro?


Tem gente que gasta o futuro, tem gente que gasta os afetos, tem gente que gasta a paciência dos que o amam. Tem gente que literalmente se gasta!

Ai faço mais uma pergunta, vale à pena gastar tanto?

O problema está no valor que dou a mim mesmo! A galera tem se desvalorizado tanto que não tem se dado o preço real.

O Apóstolo Paulo diz em uma de suas cartas, que fomos comprados pelo Sangue de Jesus. Pense, você vale o sangue de Jesus! É muita coisa!

Acredito que como jovens temos necessidade de diversão! Curtir a vida! Isso não é ruim, a forma que isso se dá é que pode trazer muita coisa boa e má!

Você curte com sua galera? Sabe o valor que você tem e o valor que o outro tem?

Se você disse sim, sei que sabe se cuidar. Sabe se valorizar.

Mas o valor é SANGUE! Não é qualquer coisa!

Você é um dom, um presente!

“Somos um presente de Deus, no que nos transformamos é

um presente para Ele” (Dom Bosco)

Se você passou por acaso por este texto e pensou que eu te daria opções de baladas, preços e etc. Desculpe só queria falar o valor que você tem! O preço que tenho para te dar é: você vale o sangue de Jesus.

Custa caro!

Não se trate como um qualquer e não deixe que os outros coloquem preço em você! Você é precioso! É dom! É presente!

.



Tamu junto

Adriano Gonçalves (@revolucaojesus)

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 2Sm 12,1-7a.10-17 - Salmo - Sl 50 - Evangelho - Mc 4,35-41

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 4,35-41)

Sábado, 30 de Janeiro de 2010
3ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA

SILÊNCIO! CALA-TE! EU SOU O SENHOR!

Postado por: homilia
janeiro 30th, 2010

Diante da proposta de Jesus - “Vamos para a outra margem!” - os discípulos resolvem obedecer ao Mestre e partem levando-O com eles. A vitória já começa com esta certeza: na obediência e na decisão de trazermos Jesus à barca da nossa vida; nada dá certo, pois já deu certo há muito tempo!

Todavia, é preciso entender que não basta trazermos Cristo para dentro da nossa vida; é preciso que O coloquemos como o centro da nossa vida, tendo olhos somente para Ele e para a Sua vontade, por mais que venham e existam ventos contrários.

O fracasso é certo e inevitável, não pela força que os ventos possuem. Não! Mas pelo fato de querermos Jesus somente ao lado na nossa vida e não dentro dela: regendo, conduzindo, comandando e direcionando… Precisamos nos convencer de duas coisas: a partir da Palavra de Deus no dia de hoje: os ventos contrários na nossa vida não possuem tal força, capaz de fazer-nos perecer. Não vamos dar poder para quem não tem; e, nunca existirá alguém isento de ventos contrários dando contra a barca da sua vida. Aliás, problemas sempre teremos entre nós. Problemas sempre teremos, pois eles existem para serem resolvidos. Problemas que não possuem solução, solucionados estão! Fazer o quê? Agora, lutar para não termos problemas? Vida sem ventos contrários? Desconfiemos! Nossa primeira santa brasileira – apesar de ter nascido na Itália -, nossa amada Santa Paulina, já dizia: não desistamos jamais, por mais que venham ventos contrários. Aprendamos com ela!

Algo muito importante também precisamos considerar: quantas vezes pensamos que Jesus se encontra dormindo ao fundo da barca da nossa vida? Brigamos com Deus, nos indignamos, nos revoltamos, iguaizinhos a uma criança mimada e revoltada. Besteira! Deus mão dorme! Ele respeita a nossa liberdade. Somos livres!

Não digamos a Deus que temos problemas, sofrimentos, ventos contrários; digamos aos problemas, aos sofrimentos, aos ventos contrários que temos um grande Deus.
Podemos achar que o milagre do cessar os ventos tenha acontecido quando Jesus interveio. Não! O milagre aconteceu quando eles admitiram, aceitaram e resolveram ir até Jesus. Jesus simplesmente acolheu a decisão deles que era admitir e resolver a situação. Jesus é especialista em sua pedagogia para conosco, de fazer com que o nosso melhor saia de dentro de nós; mas também o pior, para que venhamos a apresentar a Ele, para que Ele possa curar.

Quais são os ventos que precisam ser resolvidos – acalmados - em sua vida? Você já resolveu trazer Jesus para dentro da barca da sua vida? Se ainda não, saiba que poderá perecer, pois foi o próprio Cristo quem disse: “sem mim, nada podeis fazer.” (Jo15,5)

Jesus perguntou aos discípulos e pergunta a cada um de nós neste dia: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” O medo sempre foi fruto de uma incerteza, pelo fato de algo estar completamente fora da nossa percepção e por isso não sabemos como enfrentar, pois é desconhecido. A fé é esta certeza a respeito daquilo que não se vê. A fé, esta virtude teologal, foi depositada em nós no dia do nosso batismo, no nosso coração. Os dons de Deus são irrevogáveis. Mas então, por que “temos tão pouca fé”? Não, o que Jesus quer dizer é que precisamos nos converter, pois o pecado é esta realidade que fica em torno do nosso coração, criando esta camada em torno dele, fazendo que nos tornemos insensíveis à sua graça. A fé está lá, mas está no intimo do sacrário da alma; mas em torno, o demônio petrificou com o pecado cometido por nós. Nos convertamos para fazermos acontecer em nós a profecia de Ezequiel: tirarei do vosso peito este coração de pedra e colocarei um oração de carne. Peçamos a graça de um coração nosso, capaz de dar sentido aos ventos contrários a nossa vida.

Pe Marcos Pacheco,
Comunidade Canção Nova.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SANTA JACINTA MARESCOTTI

30 de janeiro

Em Roma, em 1585, nasceu Jacinta, dentro de uma família muito nobre, religiosa, com posses, mas que possuía, principalmente, a devoção, o amor acima de tudo. Seus pais faziam de tudo para que os filhos conhecessem Jesus e recebessem uma ótima educação.

Jacinta Marescotti que, então, tinha como nome de batismo Clarisse, foi colocada num convento para a sua educação, numa escola franciscana, juntamente com as irmãs. Uma das irmãs dela já era religiosa franciscana.

Crescendo na educação religiosa, com valores. No entanto, a boa formação sempre respeita a liberdade. Já moça e distante daqueles valores por opção, ela quis casar-se. Saiu da vida religiosa, começou a percorrer caminhos numa vida de pecados, entregue à vaidade, à formosura e aos prazeres. Enfim, ia se esvaziando. Até que outra irmã sua veio a se casar. Sua reação não foi de alegria ou de festa, pelo contrário, com inveja e revolta ela resolveu entrar novamente na vida religiosa.

A consequência foi muito linda, porque ao entrar nesse segundo tempo, ela voltou como estava: vazia, empurrada por ela própria, pela revolta. Lá dentro, ela foi visitada por sofrimentos. Seu pai, que tanto ela amava e que lhe dava respaldo material, faleceu, foi assassinado. Ela pegou uma enfermidade que a levou à beira da morte. Naquele momento de dor, ela pôde rever a sua vida e perceber o quanto Deus a amava e o quanto ela não correspondia a esse amor.

Arrependeu-se, quis confessar-se e o sacerdote foi muito firme, inspirado naquele momento a dizer: “Eu só entro para o sacramento da reconciliação se sair, do quarto dela, tudo aquilo que está marcado pelo luxo e pela vaidade”. Até as suas vestes eram de seda, diferente das outras irmãs. Ela aceitou, pois já estava num processo de conversão. Arrependeu-se, confessou-se e, dentro do convento, começou a converter-se.

Jacinta Marescotti de tal forma empenhou-se na vida de oração, de pobreza, de castidade e vivência da regra que tornou-se, mais tarde, mestra de noviças e superiora do convento.

Deus faz maravilhas na vida de quem se deixa converter pelo Seu amor.

Santa Jacinta Marescotti, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

FORMAÇÕES




A ALEGRIA DO SENHOR


Não faz bem para as pessoas uma vida calcada no desânimo

Não faz bem para as pessoas uma vida calcada em atitudes de tristeza, de desânimo e sem capacidade de reais iniciativas. Isso não é próprio dos que procuram se apoiar numa espiritualidade de adesão e de sintonia com o Senhor, com o Mestre da vida, Jesus Cristo. Aí está a fonte verdadeira da alegria.


Ser pobre e oprimido, mesmo com os sofrimentos que isso causa, não é motivo de tristeza. Por outro lado, a riqueza material e a liberdade nem sempre proporcionam a autêntica alegria. Poderão ocasionar uma falsa alegria! Elas não conseguem, às vezes, atingir a identidade da pessoa.


A alegria é um estado de espírito que vem do amor, da entrega total da vida ao outro no sentido de doação e de reconstrução da própria identidade. Isso é mais forte quando feito às pessoas mais simples e oprimidas. Tem relevância na sensibilidade para com os que sofrem com as catástrofes, os flagelados.


A sociedade é um todo, como um corpo, formada por membros diversos e com funções diferentes. Não importa ser livre ou escravo. Importa colocar as qualidades recebidas e dons naturais a serviço do bem comum de todos.


O mal é capaz de criar os pobres e de colocá-los em desespero, porque tira deles a esperança. É preciso abrir para eles novos horizontes e capacidade de reerguimento. Só a Palavra de Deus é capaz de dar luz e estabelecer a liberdade, condição fundamental para acontecer a verdadeira alegria.


A força do Espírito do Senhor questiona e salva a humanidade, começando pelos mais simples e excluídos. Proporciona aos membros da comunidade a capacidade de comunicação e de serviço de uns para com os outros, na solidariedade e na fraternidade, não deixando que a tristeza domine as pessoas.


A lei do amor liberta e supera as leis que oprimem os indivíduos no aspecto físico, econômico e político. Ela tem o projeto de vida, de liberdade e de salvação. É preciso despertar as consciências desfalecidas diante do que é negativo na cultura moderna.





Dom Paulo Mendes Peixoto
Bispo de São José do Rio Preto

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 2Sm 11,1-4a.5-10a.13-17Salmo - Sl 50 - Evangelho - Mc 4,26-34

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 4,26-34)

Sexta-Feira, 29 de Janeiro de 2010
3ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 26Jesus disse à multidão: “O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. 27Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece.
28A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. 29Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou”.
30E Jesus continuou: “Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo? 31O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. 32Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra”.
33Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender. 34E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos, explicava tudo.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA

PERMITAMOS O REINAR DE DEUS EM NOSSA VIDA

Postado por: homilia
janeiro 29th, 2010

Existe algo fundamental na nossa vida que precisamos entender e compreender, pois nisso consiste a nossa felicidade: o Reino de Deus, ou seja, o reinado de Deus na nossa vida. O que é isso? No que consiste? No último final de semana do tempo litúrgico da Igreja, chamado tempo comum, celebramos a solenidade de Cristo Rei do Universo. Para dizer que o Reino de Deus está aí, presente em nosso meio, não em algum lugar, mas dentro de cada um de nós.

Como Jesus compara este Reino? “O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece.

A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou. O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra”.

Que maravilha! Jesus compara o Reino com as realidades mais simples possíveis, para que possamos entender. Não existe nada mais dinâmico, mais simples, mais silencioso, que uma semente se desenvolvendo no interior da terra, fazendo surgir aí vida, vida em abundância. Aliás, estão no silêncio as mais belas e profundas experiências de Deus. Costumo dizer que uma árvore caindo faz mais barulho que uma floresta em crescimento. Deus está no silêncio!

Mas afinal, o que é o Reino de Deus? O Reino de Deus nada mais é do que adesão a Jesus Cristo, solidariedade e fraternidade para com os nossos irmãos. O Reino depende da nossa resposta para ter o seu mais profundo sentido, ou seja, o milagre do Reino é uma via de mão dupla: Deus faz – fez – a Sua parte, mas nós também precisamos fazer a nossa parte, o nosso cinquenta por cento. A semente da nossa vocação foi lançada no nosso “coração”, mas ela precisa de terra boa para germinar, para se desenvolver. Somente mediante a profunda experiência de Deus fará com que esta semente se desenvolva e produza frutos. Nosso primeiro chamado consiste em sermos de Deus, em estarmos em intimidade com Ele. Na intimidade o Senhor nos fala e nos envia a fazermos algo.

Num segundo momento, dentro da comparação do Reino, entram a solidariedade e a fraternidade que devemos ter com nossos irmãos, pois não há amor a Deus se não amarmos nossos irmãos, como nos diz o apóstolo São João em sua primeira carta. Assim como os pássaros do céu encontram abrigo debaixo de um pé de mostarda, assim nossos irmãos precisam encontrar refúgio em cada um de nós. Precisamos ser acolhimento, amor, abrigo, refúgio para eles [nossos irmãos]. Preciso ser como este pé de mostarda, uma grande hortaliça, capaz de abrigar, principalmente os que mais sofrem. Aliás, acolher é trazer o outro para dentro do coração, com tudo o que ele possui. Na nossa vida, existem duas situações bem concretas: ou somos refúgio, abrigo, acolhimento, sombra na vidas das pessoas, levando Deus, ou, infelizmente, somos espinhos que só ferem, machucam, trazem mal-estar na vida dos outros.

Uma vida em Deus, sendo acolhimento para os irmãos, a começar com aqueles que mais sofrem: aí está o Reino. O Reino não está numa vida longe de Deus e dos irmãos; pode até existir um reinar aí, mas será um reinar de satanás.

Padre Marcos Pacheco
Comunidade Canção Nova

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO PEDRO NOLASCO

29 de janeiro

No século XII, uma família francesa teve a graça de ter como filho o pequeno Pedro Nolasco que, desde jovem, já dava sinais de sensibilidade com o sofrimento alheio. Foi crescendo, formando-se, entrou em seus estudos humanísticos e, ao término deles, numa vida de oração, penitência e caridade ativa, São Pedro Nolasco sempre buscou viver aquilo que está na Palavra de Deus.

Desde pequeno, um homem centrado no essencial, na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo; um homem devoto da Santíssima Virgem.

No período de São Pedro Nolasco, muitos cristãos eram presos, feitos escravos por povos não-cristãos. Eles não só viviam uma outra religião – ou religião nenhuma –, como atrapalhavam os cristãos.

São Pedro Nolasco, tendo terminado os estudos humanísticos e ficando órfão, herdou uma grande herança. Ao ir para a Espanha, deparou-se com aquele sofrimento moral e também físico de muitos cristãos que foram presos e feitos escravos. Então, deu toda a sua herança para o resgate de 300 deles. Mais do que um ato de caridade, ali já estava nascendo uma nova ordem; um carisma estava surgindo para corresponder àquela necessidade da Igreja e dos cristãos. Mais tarde, fez o voto de castidade, de pobreza e obediência; foi quando nasceu a ordem dedicada à Santíssima Virgem das Mercês para resgatar os escravos, ir ao encontro daqueles filhos de Deus que estavam sofrendo incompreensões e perseguições.

Em 1256, ele partiu para a glória sabendo que ele, seus filhos espirituais e sua ordem – que foi abençoada pela Igreja e reconhecida pelo rei – já tinham resgatado muitos cristãos da escravidão.

Peçamos a intercessão deste santo para que estejamos atentos à vontade de Deus e ao que Ele quer fazer através de nós.

São Pedro Nolasco, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

CATEQUESE DO PAPA BENTO XVI




O SEGREDO DA VERDADEIRA FELICIDADE É TORNAR-SE SANTO, DIZ O PAPA

O segredo da verdadeira felicidade é tornar-se santo", disse na Catequese desta quarta-feira, 27, o Papa Bento XVI ao refletir sobre o testemunho de vida de São Francisco de Assis.

Diante dos inúmeros fiéis presentes na Sala Paulo VI, no Vaticano, o Papa destacou que a vivência de São Francisco "continua fascinando pessoas de todas as idades e credos religiosos" e recordou que foi o santo que, com seu dom missionário, levou seu testemunho de fé e mansidão às terras do Islã, estabelecendo um diálogo frutuoso até os dias de hoje.

"São Francisco de Assis, nascido no final do século XII, foi um autêntico 'gigante da santidade' (...) Depois de viver uma juventude limiar, Francisco passou por um lento processo de conversão espiritual, que culminou na sua decisão de viver na pobreza e de dedicar-se a pregação, sempre em comunhão com a autoridade eclesiástica", disse Bento XVI.

"Com efeito, Francisco não procurou outra coisa senão ser como Jesus, contemplando-o no Evangelho, amando-o intensamente na Eucaristia, imitando suas virtudes, até o ponto de receber o dom sobrenatural dos estigmas, demonstrando assim, visivelmente sua conformação total à Cristo humilde, pobre, e sofredor", concluiu.

Após a Catequese, Bento XVI recordou os 65 anos do fim do holocausto. "Em 27 de janeiro de 1945, foram abertos os portões do campo de concentração nazista da cidade polonesa de Oświęcim, conhecida com o nome alemão Auschwitz e foram libertados os poucos sobreviventes".

"Que a memória de tais fatos, em particular o drama da Shoah vivido pelo povo judeu, provoque um sempre e mais convencido respeito pela dignidade de toda pessoa e faça com que todos os homens se sintam membros de uma grande família. Deus Onipotente ilumine os corações e as mentes, para que nunca mais se repitam tais tragédias", finalizou o Papa.

Siga o Canção Nova Notícias no twitter.com/cnnoticias
Conteúdo acessível também pelo iPhone - iphone.cancaonova.com


FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 2Sm 7,18-19.24-29Salmo - Sl 131Evangelho - Mc 4,21-25

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 4,21-25)

Quinta-Feira, 28 de Janeiro de 2010
Santo Tomás de Aquino

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21“Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, não a põe num candeeiro? 22Assim, tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. 24Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Cançao Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA

CHAMADOS A SER LUZ DO MUNDO

Postado por: homilia
janeiro 28th, 2010

COMO SÃO TOMÁS, SOMOS CHAMADOS A SER LUZ NO MUNDO.
Hoje, a Igreja celebra com muita alegria e veneração, a memória de Santo Tomás de Aquino. Este santo foi, sem dúvida, uma das maiores autoridades na Igreja, falando a respeito dos mistérios da revelação de Deus, do ser humano no plano amoroso de Deus, etc…

Tudo isso acontece na vida de Santo Tomás, pelo fato de procurar viver com autenticidade a sua vocação, o seu chamado, ou seja, entendeu o chamado e, com generosidade, respondeu de forma alegre ao Senhor.

No evangelho de hoje, o Senhor nos fala a partir de uma pergunta, cuja resposta precisamos dar, aparentemente simples: “quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, não a põe num candeeiro?” Que lâmpada é esta? Para melhor entendermos esta pergunta do Senhor, precisamos ir até o evangelho de São Mateus, no sermão da montanha, e recordarmos a palavra de Jesus: “sede sal da terra e luz do mundo”.

Os dons, os talentos, as capacidades que Deus nos deu, nos levam e sempre nos levarão a uma missão: servir e amar, nos colocando a serviço do evangelho para evangelizarmos os nossos irmãos. Todas as capacidades que Deus nos deu, são luzes para que possam iluminar a vida dos nossos irmãos. A pergunta é: o que estamos fazendo com os dons e capacidades que Deus nos deu? Estamos iluminando a vida daqueles que se encontram em meio às trevas, trevas estas, da ignorância, do desamor, das doenças físicas, psíquicas e espirituais. Entendamos uma coisa definitivamente: a felicidade, a realização, que tanto buscamos encontram-se em Deus, na medida em que nos propomos a servir e nos doarmos aos irmãos, a partir destas ferramentas que Deus nos deu, ou seja, os dons, talentos, capazes de iluminar e dar um pouco de sentido e de luzes a vida dos outros, a começar por aqueles que mais próximos de nós se encontram; porque evangelizar os que estão longe é fácil! Difícil é sermos um evangelho escrito em obras e palavras à aqueles que estão bem próximos de nós. Principalmente os da nossa casa, os que convivem conosco.

Jesus mesmo diz, em outra passagem: talentos servem para serem postos a serviço dos outros e não para serem enterrados. São Tomás foi o santo – é o santo – que foi, não por ser melhor que os outros, mas por melhor se colocar a serviço dos irmãos com todas as suas capacidades, dons e talentos, que Deus o capacitou. Não existimos para nós, mas existimos para os outros, pata iluminar a vida dos outros. Aliás, nós nunca passamos pela vida de ninguém sem deixarmos um sinal concreto. Ou deixamos rastros de luz, ou deixamos rastros de trevas. Escolhamos! São Tomás deixou rastros de luz, rastros de Deus.

Quando deixamos de servir e amar, deixamos de nos ocupar para fazermos o bem. Aqui nasce a ociosidade, raiz de muitos e muitos pecados. Interessante, o pecado não possui força em nós; ele só entra em nossa vida, em mosso coração, pelo fato de ocupar lugar vago, espaço vazio em nosso coração; este espaço vago é fruto de deixarmos de fazer o bem, de deixarmos de com as capacidades dadas por Deus. Um dos males, por exemplo, é quando começamos a medir os outros; sempre terá tempo para tal medição, aquelas almas muito ocupadas em não fazer nada! Agora, por sua vez, quem se ocupar em ser luz na vida do irmão, este sim, em vez de julgar e medir, terá compaixão e amor. Iluminará, a exemplo de Santo Tomás.

Padre Marcos Pacheco,
Comunidade Canção Nova.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO TOMÁS DE AQUINO

28 de janeiro

Neste dia lembramos uma das maiores figuras da teologia Católica: Santo Tomás de Aquino. Conta-se que, quando criança, com cinco anos, Tomás, ao ouvir os monges cantando louvores a Deus, cheio de admiração perguntou: "Quem é Deus?".

A vida de santidade de Santo Tomás foi caracterizada pelo esforço em responder, inspiradamente para si, para os gentios e a todos sobre os Mistérios de Deus. Nasceu em 1225 numa nobre família, a qual lhe proporcionou ótima formação, porém, visando a honra e a riqueza do inteligente jovem, e não a Ordem Dominicana, que pobre e mendicante atraia o coração de Aquino.

Diante da oposição familiar, principalmente da mãe condessa, Tomás chegou a viajar às escondidas para Roma com dezenove anos, para um mosteiro dominicano. No entanto, ao ser enviado a Paris, foi preso pelos irmãos servidores do Império. Levado ao lar paterno, ficou, ordenado pela mãe, um tempo detido. Tudo isto com a finalidade de fazê-lo desistir da vocação, mas nada adiantou.

Livre e obediente à voz do Senhor, prosseguiu nos estudos sendo discípulo do mestre Alberto Magno. A vida de Santo Tomás de Aquino foi tomada por uma forte espiritualidade Eucarística, na arte de pesquisar, elaborar, aprender e ensinar pela Filosofia e Teologia os Mistérios do Amor de Deus.

Pregador oficial, professor e consultor da Ordem, Santo Tomás escreveu, dentre tantas obras, a Suma Teológica e a Suma contra os gentios. Chamado doutor Angélico, Tomás faleceu em 1274, deixando para a Igreja o testemunho e, praticamente, a síntese do pensamento católico.

Santo Tomás de Aquino, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 2Sm 7,4-17Salmo - Sl 88Evangelho - Mc 4,1-20

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 4,1-20)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1Jesus começou a ensinar de novo às margens do mar da Galileia. Uma multidão muito grande se reuniu em volta dele, de modo que Jesus entrou numa barca e se sentou, enquanto a multidão permanecia junto às margens, na praia.
2Jesus ensinava-lhes muitas coisas em parábolas. E, em seu ensinamento, dizia-lhes: 3“Escutai! O semeador saiu a semear. 4Enquanto semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; vieram os pássaros e a comeram. 5Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; brotou logo, porque a terra não era profunda, 6mas, quando saiu o sol, ela foi queimada; e, como não tinha raiz, secou. 7Outra parte caiu no meio dos espinhos; os espinhos cresceram, a sufocaram, e ela não deu fruto.
8Outra parte caiu em terra boa e deu fruto, que foi crescendo e aumentando, chegando a render trinta, sessenta e até cem por um”. 9E Jesus dizia: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. 10Quando ficou sozinho, os que estavam com ele, junto com os Doze, perguntaram sobre as parábolas. 11Jesus lhes disse: “A vós, foi dado o mistério do Reino de Deus; para os que estão fora, tudo acontece em parábolas, 12para que olhem mas não enxerguem, escutem mas não compreendam, para que não se convertam e não sejam perdoados”.
13E lhes disse: “Vós não compreendeis esta parábola? Então, como compreendereis todas as outras parábolas? 14O semeador semeia a Palavra. 15Os que estão na beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega Satanás e tira a Palavra que neles foi semeada. 16Do mesmo modo, os que receberam a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e logo a recebem com alegria, 17mas não têm raiz em si mesmos, são inconstantes; quando chega uma tribulação ou perseguição, por causa da Palavra, logo desistem.
18Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra; 19mas quando surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, sufocam a Palavra, e ela não produz fruto. 20Por fim, aqueles que recebem a semente em terreno bom são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




SEMEIE A PALAVRA DE DEUS

Postado por: homilia
janeiro 27th, 2010

Marcos 4,1-20


As pessoas já estão preparadas só esperando que alguém vá lá e fale de Deus para elas. Hoje Jesus começa dizendo o seguinte: Escute, ó semeador, sai a semear. Se nós formos às roças, aos lugares onde se planta nós vamos ver que o semeador pega a semente e a joga. Penso que é isso que Jesus quer que façamos; jogar a semente, pois ela vai cair em algum lugar. Um dia ela vai dar fruto. Eu pego a Palavra e a “jogo” e ela vai ao coração de qualquer pessoa e uma vez que está lá ela vai crescer. Mas nós que somos os semeadores da Palavra de Deus temos de saber que ela tem poder de mudar qualquer coração. Quando eu leio a Palavra de Deus ao coração de alguém ela vai semear frutos.

“Tal como a chuva e a neve caem do céu e para lá não volvem sem ter regado a terra, sem a ter fecundado, e feito germinar as plantas, sem dar o grão a semear e o pão a comer, assim acontece à palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado minha vontade e cumprido sua missão” (Isaías 55,10).

A Palavra não volta sem ter produzido seu efeito. A Palavra de Deus precisa surtir efeito no coração daqueles que ainda não a ouviram. Antes de mais nada, é preciso que você acredite naquilo que você está dizendo.

“E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo. Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra. Eu te conjuro em presença de Deus e de Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, por sua aparição e por seu Reino: prega a palavra, insiste oportuna e importunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência e empenho de instruir. Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas. Tu, porém, sê prudente em tudo, paciente nos sofrimentos, cumpre a missão de pregador do Evangelho, consagra-te ao teu ministério.”(II Timóteo 3, 15-17; 4,1-5)

Se hoje nós estamos aqui perseverando é porque as palavras da Sagrada Escritura um dia fizeram efeito em nosso coração. Quem produz salvação no coração do homem é a Palavra de Deus, por isso tem de ser direta. Toda a Escritura é inspirada pelo Senhor, portanto, cada palavra vai tocar o coração de quem a ouvir. O povo tem sede e tem fome da Palavra de Deus.

Esse negócio de viver dizendo que temos de anunciar a Palavra do Senhor com outras palavras não existe! Para o demônio quanto mais nós não falarmos de Jesus tanto melhor será para ele.

Tem muita gente que não persevera no Cristianismo porque vive atrás de novidade. A Palavra é a mesma ontem e por toda a eternidade ela será sempre a mesma. Você é chamado a se tornar um consagrado à Palavra de Deus, porque hoje os homens estão sendo levados pelas falsas doutrinas. O inferno está usando de todos os meios para que nós nos calemos, mas nós não podemos fazer isso! Jesus disse que nós não devemos ter medo de quem pode matar o nosso corpo, mas sim, de quem pode matar a nossa alma. Feliz daqueles que forem perseguidos por causa do nome do Senhor, pois o Reino dos céus a eles está reservado. O Evangelho está aqui e é ele que nós devemos anunciar. Oportuna e importunamente precisamos usar a Palavra de Deus para isso.

Homilia de padre José Augusto
Missionário da Comunidade Canção Nova

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SANTA ÂNGELA MÉRICI

27 de janeiro

Nasceu no ano de 1474 no norte da Itália. De uma família muito honesta, materialmente pobre, mas espiritualmente riquíssima, amava muito Cristo e sua Igreja. Os filhos foram crescendo assim, com o testemunho dos pais, inclusive Santa Ângela que, desde pequenina, já tinha vida de oração e penitência, buscava amar, cada vez mais, Deus.

Ela teve uma irmã e, com o tempo, seus pais vieram a falecer. Os filhos tiveram que sair de sua terra e morar com um tio. Ali, a irmã faleceu e, mais tarde, o tio. Quantas perdas! Mas Santa Ângela, mulher de oração, nunca acusou Deus, nunca se revoltou. Isso não quer dizer que não sentiu, não sofreu. Até Nosso Senhor, verdadeiro Deus, verdadeiro homem sofreu.

Inspirada pelo Espírito Santo, retornou para a sua terra natal e ali começou a fazer um trabalho muito providencial, confirmado pelo céu, porque teve um sonho de ver jovens com coroas de lírios caminhando para o céu. Naquele discernimento, ela agarrou a inspiração e foi trabalhar servindo jovens que corriam riscos morais.

O grupo daquele que se dedicavam a Deus foi crescendo, servindo no resgate à evangelização dos jovens e também na restauração das famílias. Ela foi com o coração aberto, cheio de amor para auxiliar, com as outras jovens, as famílias. Promoveu a restauração das jovens, das famílias, também foi ao encontro dos pobres e enfermos.

O Papa aprovou esta nova congregação que foi consagrada a Santa Úrsula, por isso, eram chamadas ursulinas, pois a própria Santa Úrsula apareceu para Santa Ângela. Ela que, aos 66 anos, partiu para o céu, hoje intercede não só pelas ursulinas, mas por todos que são Igreja.

São Ângela Mérici, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

MENSAGEM




PORQUE ANDO TÃO PERTURBADO?

"Nada te perturbe, nada te amedronte, tudo passa, a paciência tudo alcança... A quem tem Deus nada falta, só Deus basta". Santa Teresa de Jesus viveu esta certeza de que tudo passa: as pessoas, por mais importantes que sejam; as coisas que possuímos; as funções que exercemos; sentimentos e causas... Tudo passa! Vontades, tristezas, medos, sonhos, palavras, brigas e rancores passam!

É maravilhoso, porque compreendo que não posso jamais me apegar a nada passageiro, por uma única razão: só Deus permanece. Ando mais perturbado, talvez porque tenho rezado pouco! E você?

Estamos juntos nesta luta.

FONTE: Canção Nova

MENSAGEM DO DIA





Terça-Feira, 26 de janeiro 2010

NÃO PERMITA A CONCRETIZAÇÃO DO PECADO

Não podemos ser ingênuos! Existe muita tentação que o demônio nos apresenta, mas a pior delas já existe em nós: a concupiscência. Ela age de duas maneiras: violenta e jeitosa.

Com a primeira, ela arrasta, sem medo, a pessoa para o pecado. Com a outra, mais comum - a concupiscência jeitosa -, vai chegando de mansinho, com sedução, “piscando” de lado, dando sorrisinhos... e vai atraindo até você cair. A Palavra de Deus esclarece: não é o maligno, é a própria concupiscência que nos arrasta e seduz. O diabo apenas se utiliza dela para nos derrubar.

“Uma vez fecundada, a concupiscência dá à luz o pecado, e o pecado, tendo atingido a maturidade, gera a morte” (Tg 1,15a).

Quando o pecado amadurece e cria raízes em nós, fica difícil nos livrar dele. Somente pelo arrependimento e pela confissão Deus arranca o pecado pela raiz, mas mesmo assim temos de ficar atentos porque a concupiscência continua dentro de nós como semente.

A concupiscência é “sem vergonha”. Depende de você aceitá-la ou não para o pecado se concretizar.

Monsenhor Jonas Abib

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA


Primeira leitura - 2Tm 1,1-8Salmo - Sl 95Evangelho - Lc 10,1-9

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Lc 10,1-9)

Terça-Feira, 26 de Janeiro de 2010
São Timóteo – São Tito

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. 3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’ ”.

- Palavra da Salvação.


FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA


DEUS PRECISA DE NÓS

Postado por: homilia
janeiro 26th, 2010

Existe uma multidão que está pronta para receber o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas muitos deles estão no mundo, têm uma vidinha longe de Deus, porque não ouviram quem lhes falasse do Senhor. Desde a Morte de Jesus, de Sua Ressurreição e Ascensão, Ele está esperando o Pai Lhe dizer para vir buscar os que ficaram aqui na terra. Para isso, Cristo precisa encontrar todos preparados para recebê-Lo. Neste mundo de Deus existem muitos só esperando Jesus chegar, mas também existem muitos que nem sabem que Ele virá.

Lucas 10,1-9

Os setenta e dois discípulos estavam preparados, eles acolheram a verdade e de dois em dois foram anunciando Jesus. Porém, o Senhor lhes faz um pedido: disse-lhes que pedissem ao Pai que mais pessoas se juntassem a eles. Existe uma multidão que precisa ouvir falar de Jesus e setenta e dois discípulos não são o sufuciente para isso; era preciso que mais pessoas se juntassem a eles.

Reze para que apareça mais gente para ajudar você. No nosso coração deve existir uma comoção, um desejo muito grande de salvação de pessoas. Olhem em volta e vocês vão ver que existe muita gente que pode ajudá-los a anunciar a Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Padre Jonas, há uns 30 anos, cantava, rezava, fazia tudo sozinho. Chegou um momento em que Jesus tocou o coração dele e ele procurou pessoas que o ajudassem. Naquele apelo que ele fez doze pessoas levantaram o braço, foi quando ele começou tudo.

Nós precisamos compreender que existem pessoas que estão necessitando muito, elas precisam se encontrar com Jesus antes que Ele venha. Quem não estiver com Nosso Senhor vai ficar para trás. Jesus está colocando [essa responsabilidade] nas nossas mãos. As pessoas precisam se encontrar com o Senhor. No entanto, nós não podemos pensar que só porque nós O encontramos está tudo certo. Precisamos levar o que encontramos aos outros.

Jesus precisa de você. Você é importante na messe. Por que você fica inventando desculpa se o Senhor está o chamando para algo superior? Entenda o que o Senhor quer de você. O inferno não pode ganhar mais ninguém, nós precisamos de pessoas que façam o inferno ficar com raiva e o céu vibrar de alegria!

Que Deus abençoe você que compreendeu o chamado de Deus. Siga e peça que o Senhor mande pessoas para ajudá-lo. Deus precisa de nós. A primeira parte Ele já fez, agora a segunda é nossa. Precisamos preparar as pessoas para vinda do Senhor. A Igreja de Jesus precisa de operários.

Homilia de padre José Augusto
Missionário da Comunidade Canção Nova

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO TIMÓTEO

26 de janeiro

Sua vida foi marcada pela evangelização, pela santidade de São Paulo e também de São João Evangelista. A respeito dele, certa vez, São Paulo escreveu em uma de suas cartas: “A Timóteo, filho caríssimo, graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Jesus Cristo Nosso Senhor. Nesta carta, vamos percebendo que ele foi fruto de uma evangelização que atingiu não somente a ele, mas também sua família.

“Quando me vêm ao pensamento as tuas lágrimas, sinto grande desejo de te ver para me encher de alegria” (II Timóteo 1, 4). Confesso a lembrança daquela sua fé tão sincera que foi primeiro a de sua avó Lóide e de sua mãe, Eunice e, não tenho a menor dúvida, habita em mim também. Por isso, São Paulo foi marcado pelo testemunho de São Timóteo, que se deixou influenciar também por São Paulo. Tornou-se, mais tarde, além de um apóstolo, um companheiro de São Paulo e muitas viagens.

Primeiro Bispo de Éfeso, foi neste contexto que ele conheceu e foi discípulo de Nosso Senhor seguindo as pegadas do Evangelista.

Conta-nos a tradição que, no ano de 95, o santo havia sido atingido por pagãos resistentes à Boa Nova do Senhor e, por isso, martirizado. São Timóteo, homem de oração, um apóstolo de entrega total a Jesus Cristo. Viveu a fé em família, mas também propagou a fé para que todos conhecessem Deus que é paz.

Peçamos a intercessão desse grande santo para que sejamos apóstolos nos tempos de hoje.

São Timóteo, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

MENSAGEM DO DIA




Segunda feira, 25 de janeiro

HÁ AMOR EM VOCÊ

Não é possível amar os outros se não amamos a Deus em primeiro lugar. Não é possível amar a Deus se não sentimos o amor d'Ele por nós.

Precisamos passar pela experiência de que foi Deus quem nos amou primeiro. Porque somos amados e experimentamos Seu amor, começamos a amá-Lo também. E amando a Deus, começamos também a amar o próximo.

Há amor em você. O amor de Deus Pai foi derramado em seu coração pelo Espírito Santo, que lhe foi dado. Se esse amor não se manifesta é poque forças de morte caíram, pesaram sobre ele e o sufocaram. O Senhor quer retirar todas essas forças de morte e fazer você voltar a experimentar o amor.


Monsenhor Jonas Abib

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - At 22,3-16Salmo - Sl 116Evangelho - Mc 16,15-18

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 16,15-18)

Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2010
Conversão de São Paulo

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, Jesus se manifestou aos onze discípulos, 15e disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura! 16Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. 17Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; 18se pegarem em serpentes ou beberem algum veneno mortal não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




QUEM TEM DEUS TEM TUDO

Postado por: homilia
janeiro 25th, 2010

Hoje a Igreja celebra a conversão de São Paulo; para entendermos o significado da conversão dele peguemos este trecho da bíblia:

“Tu tropeçarás em pleno dia, assim como o profeta durante a noite. Far-te-ei perecer, porque meu povo se perde por falta de conhecimento; por teres rejeitado a instrução, excluir-te-ei de meu sacerdócio; já que esqueceste a lei de teu Deus, também eu me esquecerei dos teus filhos” (Oséias 4, 5-6).

O povo estava se perdendo por falta de Jesus. São Paulo era um perseguidor dos cristãos, era um judeu e por causa do judaísmo ele era rigoroso. O apóstolo dos gentios não acreditava na ressurreição. Até que ele conheceu Jesus Cristo e se tornou um apaixonado por Ele. Nós cristãos precisamos nos tornar apaixonados por Jesus, porque Ele deu a vida por nós.

“Na verdade, julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor. Por ele tudo desprezei e tenho em conta de esterco, a fim de ganhar Cristo” (Filipenses 3,8).

Às vezes, a gente quer tantos conhecimentos relacionadas com o mundo e para Paulo o único conhecimento estava em Jesus Cristo. Pois começou a compreender que o maior presente que ele poderia dar a uma pessoa seria Jesus Cristo.

São Marcos 16,15-18

A grande missão de São Paulo foi levar ao mundo a salvação. Este mundo tem muitas coisas que se dizem boas; mas não existe privilégio maior nele do que levar o Senhor ao coração das pessoas. Quem tem Deus tem tudo. Jesus não vai cobrar nada das pessoas, mas o céu se alegra quando um pessoa é chamada para anunciar o nome d’Ele.

“Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!” (I Corintios 9,16).

Diante de tanta coisa que Paulo recebeu do Senhor ele se achava comprometido a anunciar Jesus às pessoas, para que elas fossem felizes como ele. O grande pecado daqueles que anunciam Jesus Cristo é anunciar a si próprios; de repente, as pessoas começam a seguir a pessoa e não a Jesus.

Falar o nome de Jesus dá dinheiro, tem muita gente por aí ficando rica. As pessoas acabam não anunciando Jesus Cristo. Se eu me torno a salvação para todos significa que eu ainda não anunciei a Jesus.

Nós não somos nada, nós temos que anunciar a salvação do Senhor. Precisamos anunciar mais Jesus Cristo, pois Ele é a salvação de todos. Quanto mais as pessoas se dobrarem diante do Santíssimo Sacramento, tanto melhor será. Quem morreu de braços abertos pela salvação do mundo foi Jesus. Qualquer membro da comunidade pode anunciar a Cristo, mas a gente não deve ir atrás de pessoas, a gente tem de ir atrás de Nosso Senhor Jesus Cristo!

As pessoas vão morrendo e a Igreja vai se renovando, porque Deus nunca vai deixar de mandar evangelizadores. As pessoas vão, mas Jesus fica. Pare em Jesus, porque Ele é a única salvação para todos. Seja anunciador da Palavra! Não tenha outro propósito a não ser levar Jesus Cristo às pessoas. No entanto, ninguém consegue levar o Senhor para os outros sem dobrar os joelhos diante d’Ele.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




CONVERSÃO DE SÃO PAULO

25 de janeiro

O apóstolo dos gentios e das nações nasceu em Tarso. Da tribo de Benjamim, era judeu de nação. Tarso era mais do que uma colônia de Roma, era um município. Logo, ele recebeu também o título de cidadão romano. O seu pai pertencia à seita dos fariseus. Foi neste ambiente, em meio a tantos títulos, que ele foi crescendo e buscando a palavra de Deus.

Combatente dos vícios, foi um homem fiel a Deus. Paulo de Tarso foi estudar na escola de Gamaliel, em Jerusalém, para aprofundar-se no conhecimento da lei e buscava colocá-la em prática. Nessa época, conheceu o Cristianismo, que era tido como um seita. Tornou-se, então, um grande inimigo dele; tanto que a Palavra de Deus testemunha que, na morte de Santo Estevão, primeiro mártir da Igreja, ele fez questão de segurar as capas daqueles que apedrejam Estevão, como uma atitude de aprovação. Autorizado, buscava identificar cristãos, prendê-los, enfim, acabar com o Cristianismo. O interessante é que ele pensava estar agradando Deus. Ele fazia seu trabalho por zelo, mas de maneira violenta, sem discernimento. Era um fariseu que buscava a verdade, mas fechado à Verdade Encarnada. Mas Nosso Senhor veio para salvar todos.

Encontramos, no capítulo 9 dos Atos dos Apóstolos, o testemunho: “Enquanto isso, Saulo só respirava ameaças e morte contra os discípulos do Senhor. Apresentou-se ao príncipe dos sacerdotes e pediu-lhes cartas para as sinagogas de Damasco, com o fim de levar presos, a Jerusalém, todos os homens e mulheres que seguissem essa doutrina. Durante a viagem, estando já em Damasco, subitamente o cercou uma luz resplandecente vinda do céu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: 'Saulo, Saulo, por que me persegues?'. Saulo então diz: 'Quem és, Senhor?'. Respondeu Ele: 'Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro te é recalcitrar contra o aguilhão'. Trêmulo e atônito,
disse Saulo: 'Senhor, que queres que eu faça?' respondeu-lhe o Senhor: 'Levanta-te, entra na cidade, aí te será dito o que deves fazer'. O interessante é que o batismo de Saulo é apresentado por Ananias, um cristão comum, mas dócil ao Espírito Santo.

Hoje estamos comemorando o testemunho de conversão de São Paulo. Sua primeira pregação foi feita em Damasco. Muitos não acreditaram, mas ele perseverou.


São Paulo de Tarso , rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

domingo, 24 de janeiro de 2010

MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI




Sábado, 23 de janeiro de 2010, 10h28


DESCOBRIR O ROSTO DE CRISTO NO MUNDO DIGITAL, PEDE BENTO XVI

"Através dos meios modernos de comunicação, o sacerdote poderá dar a conhecer a vida da Igreja e ajudar os homens de hoje a descobrirem o rosto de Cristo".

É isso que aponta Bento XVI em sua mensagem para o 44º Dia Mundial das Comunicações, com o tema O sacerdote e a pastoral no mundo digital: os novos media ao serviço da Palavra. O Dia Mundial das Comunicações será celebrado em 16 de maio.

O texto foi apresentado durante uma coletiva realizada na manhã deste sábado, 23, na Sala de Imprensa da Santa Sé. O encontro foi conduzido pelo presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Cardeal Claudio Maria Celli, e o secretário do mesmo Conselho, monsenhor Paul Tighe.

O Papa destaca que as possibilidades oferecidas pelas novas tecnologias nos meios de comunicação "tornam cada vez mais importante e útil o seu uso no ministério sacerdotal".

Ao lembrar que a tarefa primária do sacerdote é anunciar Cristo, Bento XVI indica: "De fato, pondo à nossa disposição meios que permitem uma capacidade de expressão praticamente ilimitada, o mundo digital abre perspectivas e concretizações notáveis ao incitamento paulino: 'Ai de mim se não anunciar o Evangelho!' (1 Cor 9,16)".


Uma nova fase

Com a difusão crescente das novas tecnologias, o Santo Padre explica que o sacerdote se encontra perante o limiar de uma "história nova".

Por isso, seria preciso multiplicar os esforços para colocar os novos meios ao serviço da Palavra, não apenas como um espaço a ser ocupado, mas em que "o presbítero deve fazer transparecer o seu coração de consagrado, para dar uma alma não só ao seu serviço pastoral, mas também ao fluxo comunicativo ininterrupto da 'rede'".

Ao se valer do mundo digital para expressar que o amor de Deus não é uma teoria do passado, mas uma realidade concreta, o sacerdote deveria oferecer às pessoas os sinais necessários para reconhecer o Senhor.

Além disso, as novas tecnologias representariam uma oportunidade valiosa para levar a Palavra aos não crentes.

"Uma pastoral no mundo digital é chamada a ter em conta também aqueles que não acreditam, caíram no desânimo e cultivam no coração desejos de absoluto e de verdades não caducas, dado que os novos meios permitem entrar em contato com crentes de todas as religiões, com não-crentes e pessoas de todas as culturas".

Por fim, Bento XVI pergunta: "não se poderá porventura prever que a internet possa dar espaço - como o 'pátio dos gentios' do Templo de Jerusalém - também àqueles para quem Deus é ainda um desconhecido?". E pede aos sacerdotes: "Aproveiteis com sabedoria as singulares oportunidades oferecidas pela comunicação moderna".

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - Ne 8,2-4a.5-6.8-10Segunda leitura - 1Cor 12,12-14.27Salmo - Sl 18BEvangelho - Lc 1,1-4; 4,14-21

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Lucas 1,1-4; 4,14-21)

3º Domingo do Tempo Comum

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

1Muitas pessoas já tentaram escrever a história dos acontecimentos que se realizaram entre nós, 2como nos foram transmitidos por aqueles que, desde o princípio, foram testemunhas oculares e ministros da palavra.
3Assim sendo, após fazer um estudo cuidadoso de tudo o que aconteceu desde o princípio, também eu decidi escrever de modo ordenado para ti, excelentíssimo Teófilo. 4Deste modo, poderás verificar a solidez dos ensinamentos que recebeste.
Naquele tempo, 4,14Jesus voltou para a Galileia, com a força do Espírito, e sua fama espalhou-se por toda a redondeza.
15Ele ensinava nas suas sinagogas e todos o elogiavam.
16E veio à cidade de Nazaré, onde se tinha criado. Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado, e levantou-se para fazer a leitura.
17Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, Jesus achou a passagem em que está escrito: 18“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa-nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos 19e para proclamar um ano da graça do Senhor”.
20Depois fechou o livro, entregou-o ao ajudante e sentou-se. Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele.
21Então começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO FRANCISCO DE SALES

24 de janeiro

Nasceu no Castelo de Sales em 1567. Sua mãe, a condessa, buscou formar muito bem o seu filho com os padres da Companhia de Jesus, onde aprendeu línguas. Muito cedo, fez um voto de viver a castidade e buscar sempre a vontade do Senhor. Ao longo da história deste santo muito amado, vamos percebendo o quanto ele buscou e o quanto encontrou o que Deus queria.

Mais tarde, São Francisco escreveu “Introdução à vida devota” e, vivendo do amor de Deus, escreveu também o “Tratado do amor de Deus”.

Atacado por uma tentação de desconfiar da misericórdia do Senhor, a resposta ele buscou com o auxílio de Nossa Senhora; por isso, foi dissipada aquela tentação. Estudou direito em Pádua, mas, contrariando familiares, quis ser sacerdote. E foi um sacerdote buscando a santidade não só para si, mas também para os outros.

No seu precorrer de pregações, de zelo apostólico e de evangelização, semeando a unidade e espalhando, com a ajuda da imprensa, a sã doutrina cristã. Foi escolhido por Deus para o serviço do episcopado em Genebra. Primeiro, como coadjutor, depois, sendo o titular. Um apóstolo do amor e da misericórdia. Um homem que conseguiu expressar, com o seu amor e a sua vida a mansidão do Senhor.

Diz-se que, depois de sua morte, descobriu-se que sua mesa de trabalho estava toda arranhada por baixo, porque, com seu temperamento forte, preferia arranhar a mesa do que responder sem amor, sem mansidão para as pessoas.

Foi fundador da 'Ordem da Visitação', mas também um exemplo para tantos religiosos como os salesianos de Dom Bosco. Eles são chamados assim por causa do testemunho de São Francisco de Sales.

Ele morreu com 56 anos, sendo que 21 anos foram vividos no episcopado como servos para todos e sinal de santidade.

Peçamos a intercessão desse grande santo para que, numa vida devota e vivendo do amor de Deus, possamos percorrer o nosso caminho em busca de Deus em todos os caminhos.

São Francisco de Sales , rogai por nós!

FONTE : Canção Nova

sábado, 23 de janeiro de 2010

CLUBE DE EVANGELIZAÇÃO - CANÇÃO NOVA




O APEGADO AO QUE TEM, NÃO VIVE, NÃO É FELIZ E NÃO FAZ NINGUÉM FELIZ!



Mensagem do missionário Márcio Mendes no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova, nesta sexta-feira, dia 22 de janeiro de 2010

Eu quero convidar você para abrir a Palavra de Deus em:

Lucas 12,13-21..


Deus sabe o que nós não sabemos, enquanto aquele homem se preparava para curtir a vida e colocou toda a sua confiança nos bens, depositou a sua confiança, sua alegria nas coisas... Devemos nos guardar de todo tipo de avareza porque a vida do homem, ainda que ele esteja na abundância, não depende de suas riquezas. É a Palavra de Deus que nos diz hoje que para sermos felizes e nos realizarmos como pessoas; mas para que sejamos uma fonte de bem precisamos nos guardar de todo tipo de avareza.



É um desastre aquele que põe a sua felicidade nas riquezas que tem, porque pode acontecer de viver mal a sua vida e no final descobrir que colocou a sua confiança naquilo que não valia a pena. A riqueza que nos traz felicidade é aquela que nos enriquece aos olhos de Deus.



Trabalhe, seja honesto, ajude as pessoas, conquiste o seu patrimônio, isso é um direito seu, nem a Palavra de Deus nem a Igreja se opõem a isso, mas não seja avarento, não queira viver para as coisas, quando Deus o colocou no mundo para as pessoas. É justo que você trabalhe e com a sua capacidade ajunte os seus bens honestamente.



Quem é apegado ao que tem, não vive, não é feliz e não faz feliz, tem o seu coração no cofre. O que nos torna ricos diante de Deus? A fé! Ela nos leva a viver como se nós já estivéssemos no céu. Alienados? Alienados não, cheios de amor. Porque a fé nos desperta para o amor.



Amor é exercício e, muitas vezes, o nosso coração está enferrujado e não sabe mais amar. E por que começa a amar? Por causa da fé. A fé fere de morte o "homem velho" que existe dentro de nós, e daquela ferida ela faz nascer o "homem novo". A fé nos capacita para viver uma vida nova.



As coisas que nós fazemos deve ser para ajudar os outros; se o que você faz não ajuda ninguém, então mude de trabalho, escolha outra coisa para fazer, pois sua vida é muito preciosa, o seu tempo é único para desperdiçar em algo que não ajuda ninguém. O que nós fazemos o fazemos para ajudar os outros.



Márcio Mendes e Adriana Pereira
Comunidade Canção Nova

FONTE:Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 2Sm 1,1-4.11-12.19.23-27Salmo - Sl 79Evangelho - Mc 3,20-21

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 3,20-21)

Sábado, 23 de Janeiro de 2010
2ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 20Jesus voltou para casa com os discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que eles nem sequer podiam comer. 21Quando souberam disso, os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo, porque diziam que estava fora de si.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA

SANTO ILDEFONSO

23 de janeiro

Nasceu no ano de 606, em Toledo, no dia 8 de dezembro. Um homem de oração, foi discernindo a vontade de Deus também nas perdas. Ficou órfão e, em meio aos bens que possuía, fez de tudo para a construção de um mosteiro para religiosos. Um homem de discernimento, que não quer dizer sem medo, sem dificuldades.

Os santos não foram super-homens, mas pessoas de carne e osso que foram se deixando transformar por Aquele que é o santo dos santos: Jesus Cristo. Ele que, pelo poder do Espírito Santo, opera maravilhas no coração que se abre.

Santo Ildefonso, um coração aberto para as vontades de Deus, mesmo contra a própria vontade. Aconteceu que o Bispo de sua localidade havia falecido e o povo o elegeu. Ele se escondeu num convento, mas foi descoberto e aceitou este grande serviço para o povo de Deus. Foi um grande instrumento de Deus e devoto da Santíssima Virgem.

Ele propagou a Festa da Expectação de Nossa Senhora, em 18 de dezembro – Nossa Senhora do Ó, como ficou conhecida. Fruto desse amor, ele recebeu a graça de uma aparição da Virgem Maria, chamando-o de “meu capelão” e presenteando-o com uma casula do céu. Assim diz o seu testemunho.

Um homem revestido de humildade, de vida, de oração na vida sacramental, por isso foi um grande pastor para o seu povo. Não evangelizou sozinho, pois os santos bem sabiam e continuam a saber o quanto nós precisamos uns dos outros para que a evangelização aconteça, para que muitos conheçam esse doce nome que tem nosso Senhor Jesus Cristo. Os santos foram aqueles que se consumiram pelo Evangelho para que muitos conheçam Jesus Cristo.

Santo Ildefonso, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

FORMAÇÃO




TRISTEZA MATERNA

Um quadro clínico que requer atenção

No artigo anterior, comentei com você sobre a DPP - Depressão Pós-Parto, porém, é muito conhecido – entre a psicologia e a área médica – um outro quadro clínico chamado de "Tristeza Materna" (baby blues, post-partum blues).


O que muda entre um e outro é a intensidade dos sintomas e a gravidade do quadro e a forma como atinge a mulher, incapacitando-a, colocando em risco sua vida e a do bebê e a capacidade de fazer coisas, até mesmo as mais simples do dia a dia, como arrumar-se, fazer sua higiene pessoal, amamentar, dentre outras atividades.


Como já comentei, é muito importante que a mulher seja cuidada nesse período; é comum que o marido ou os parentes achem muito normal ou até mesmo uma fraqueza da mulher ou até “coisa de mãe e de grávida”. O risco não é apenas materno, mas também da qualidade da saúde mental do recém-nascido, pois a mãe passa a destinar sentimentos negativos ao filho, muitas vezes, este passa a ser vítima de maus-tratos; em casos extremos ela sente vontade de eliminar a vida da criança. Isso não é apenas maldade ou falta de Deus. Trata-se, sim, de um quadro que requer atenção redobrada, acompanhamento materno e proximidade com ela.


A sociedade trata certas regras, quando falamos sobre depressão e gestação, como se a mulher necessariamente tivesse que transbordar de alegria diante do nascimento do filho. Isso é o socialmente esperado; porém, a estrutura emocional feminina reage de forma diferente a cada caso. Certamente, não é uma ingratidão pelo milagre de vida que lhe foi concedido, pelo milagre da maternidade. A tarefa de ser mãe, algo que pode inicialmente ser muito desejado, pode despertar sentimentos de incompetência, incapacidade, limitação nos papéis ocupados pela mulher na sociedade, na família, no casamento.


Gosto da leitura e complemento com um dos textos que busquei: "O processo de transformação psíquica que uma mulher precisa passar no ciclo gravídico-puerperal envolve três grandes momentos que englobam pequenas etapas vividas de formas diferentes para cada sujeito. A transformação da filha em mãe, a transformação da autoimagem corporal e a relação entre a sexualidade e a maternidade. Cada um destes temas requer uma reordenação psíquica que incide sobre as vicissitudes de cada mulher. A mentalidade de que a chegada de um filho é isenta de ambiguidade, tende a dificultar o auxílio que estas mães precisam receber. Algumas mulheres não conseguem admitir para si mesmas que merecem ajuda, escondendo dos cônjuges e da família seu estado" (IACONELLI, V. - Revista Pediatria Moderna, julho-agosto, 2005).


Os números mostram claramente esta realidade: a Tristeza Materna ("baby blues") acomete até 80% das mulheres, mas devido ao tabu mencionado pode se imaginar um índice até maior. "É um estado de humor depressivo que costuma acontecer a partir da primeira semana depois do parto. Este humor é coerente com a enorme tarefa de elaboração psíquica citada anteriormente (transformação da filha em mãe, a transformação da autoimagem corporal, a administração da relação entre a sexualidade e a maternidade). De forma geral, a mulher sente que perdeu o lugar de filha sem que tenha ainda segurança no papel de mãe; que o corpo está irreconhecível, pois se já não é mais de uma grávida tampouco retomou sua forma original; que entre ela e o marido encontra-se um terceiro elemento. O bebê emerge como um outro ser humano aos olhos desta mãe e precisa encontrar um espaço dentro desta configuração anterior (casal) de forma a deixar preservada a sexualidade dos pais. Forma-se o triângulo que remete o casal a suas próprias questões com seus pais" (idem).


O quadro é benigno, à medida que estas questões possam ser elaboradas e regridem por si só por volta do primeiro mês. Aparecem sintomas como irritabilidade, mudanças bruscas de humor, indisposição, tristeza, insegurança, baixa autoestima, sensação de incapacidade de cuidar do bebê e outros.


Lembre-se: "A tarefa de uma mãe de bebê é monótona, desgastante e sem recompensas ou reconhecimento do bebê, a curto prazo. O bebê é impiedoso em suas necessidades e é difícil que a mãe possa atender-lhe se estiver num estado de comprometimento psíquico" (idem).


O conhecimento é essencial na percepção e até mesmo antecipação da existência potencial desta problemática que acomete tantas famílias.


Deixe seus comentários! Espero que tenha gostado deste post!






Elaine Ribeiro
psicologia01@cancaonova.com
Elaine Ribeiro, colaboradora da Comunidade Canção Nova, formada em Psicologia Clínica e Pós-Graduada em Gestão de Pessoas

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 1Sm 24,3-21Salmo - Sl 56Evangelho - Mc 3,13-19

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 3,13-19)

Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2010
2ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 13Jesus subiu ao monte e chamou os que ele quis. E foram até ele. 14Então Jesus designou Doze, para que ficassem com ele e para enviá--los a pregar, 15com autoridade para expulsar os demônios. 16Designou, pois, os Doze: Simão, a quem deu o nome de Pedro; 17Tiago e João, filhos de Zebedeu, aos quais deu o nome de Boanerges, que quer dizer “Filhos do trovão”; 18André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu, Tadeu, Simão, o cananeu, 19e Judas Iscariotes, aquele que depois o traiu.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




O ÓDIO MATA O CORAÇÃO

Postado por: homilia
janeiro 22nd, 2010

São Marcos 3, 13-19

Hoje, no Evangelho, nós encontramos Jesus que sobe para o monte; lá o Senhor reza e começa a escolher aqueles que são os propagadores daquilo que Ele veio fazer no nosso meio. Jesus veio fazer o maior ato de reconciliação para conosco. Ato de reconciliação de nós para com Seu Pai. Essa reconciliação se deu na cruz. A nossa missão é essa: reconciliar-nos.

I Samuel 24,13-21

Hoje, nós vimos uma expressão de Saul que queria matar Davi. O povo tinha pedido um rei, o rei deles era Deus, mas eles queriam um rei e o Senhor lhes deu um rei. Saul foi o primeiro rei, mas ele foi decepcionando Deus. O Senhor resolveu escolher um novo rei, que seria Davi, mas este só se tornaria rei após a morte de Saul. Então, este começou uma perseguição muito grande contra Davi porque o ciúme começou a tomar conta do coração dele. O ciúme é um pecado capital e se as pessoas não tomarem cuidado, esse mal se torna um pecado ainda maior e acaba se tornando ódio.

Saul queria matar Davi por causa do ciúme que se tornou ódio. Davi teve a oportunidade de matar Saul, mas ele não fez isso, pois tinha pureza no coração. Não foi simplesmente porque ele era ungido do Senhor que ele não iria matar, mas sim porque ele era filho de Deus.

O mal está nele e não em mim, foi isso que Davi disse. Nós não podemos desejar o mal do outro, mesmo que ele deseje o seu [mal]. Tem muita gente por aí querendo se vingar e isso não vem do Evangelho. Davi lutou contra o mal que estava dentro dele. Lute contra essa tendência maligna dentro do coração de querer se vingar.

O ódio não mata o outro, mata a pessoa que está com ele. Ele mata o coração. O ódio mata e a única solução para ele é evitar alimentá-lo. Faça o bem!

“Passado algum tempo, ofereceu Caim frutos da terra em oblação ao Senhor. Abel, de seu lado, ofereceu dos primogênitos do seu rebanho e das gorduras dele; e o Senhor olhou com agrado para Abel e para sua oblação, mas não olhou para Caim, nem para os seus dons. Caim ficou extremamente irritado com isso, e o seu semblante tornou-se abatido. O Senhor disse-lhe: ‘Por que estás irado? E por que está abatido o teu semblante? Se praticares o bem, sem dúvida alguma poderás reabilitar-te. Mas se precederes mal, o pecado estará à tua porta, espreitando-te; mas, tu deverás dominá-lo’” (Gênesis 4, 3-7).

A gente tem sempre que se fazer esta pergunta: “Por que eu estou com raiva? ” Não há necessidade para isso porque o mal está no outro e não em você. Se você não fizer o bem o mal ficará batendo à sua porta. Nós não podemos deixar que ele tome conta de nós. Saia correndo, não o deixe dominá-lo. O mal não pode dominar você. Repito: Faça o bem.

Nós precisamos sempre olhar para o calvário e lá podemos ver a maior manifestação de amor, o maior bem que alguém já fez por nós. O Senhor derramou Seu Sangue por nós. Quem tem de estar dentro de nós é Jesus Cristo e não o demônio!

Nós somos novas criaturas em Jesus Cristo. Domine esse ódio, não o deixe tomar conta de você. Cabe a Deus que essa pessoa por quem você alimenta esse ódio se encontre com Ele, mas não cabe a você a vingança. Peça ao Senhor que não deixe que esse mal dominar você.

O cristão é o “bobo do mundo”, porque todos vão chamá-lo de bobo por você não querer se vingar. Jesus foi chamado de bobo quando foi levado à cruz. Portanto, nós também somos bobos. Somos os bobos que vão conquistar o Reino dos Céus e não vamos deixar que uma bobeira como o ódio nos tire do caminho do Senhor.

Homilia de padre José Augusto
Missionário da Comunidade Canção Nova

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO VICENTE

22 de janeiro

Um santo amado e citado por muitos santos, como Santo Agostinho, Santo Ambrósio, São Prudêncio e outros que trouxeram à tona o testemunho desse grande diácono e mártir da Igreja.

Nasceu na Espanha, em Huesca, no século terceiro. De uma família muito distinta e conhecida por todos, ele escolheu ser cristão e, assim, viver a santidade.

Vicente viveu num período muito difícil da Igreja. Um tempo em que Diocleciano e Maximiano – imperadores –, começaram a perseguir os cristãos e forçar muitos a se declararem a favor dos deuses; caso contrário, seriam martirizados. O santo de hoje foi um dos que fez a opção por Jesus.

Ele era um grande pregador da Palavra, mais do que isso, buscava viver a Palavra que pregava, esta que é, antes de tudo, Cristo Jesus, o Santo dos Santos, o nosso modelo, o nosso Senhor e Salvador. Diante das ameaças do governador Darciano, ele não recusou a se dizer cristão e fiel ao Senhor.

Os tormentos o perseguiram. Foi um martírio lento, sempre com o objetivo de vencê-lo para que Darciano se desse como herói diante do Cristianismo, mas também com o objetivo de levar São Vicente a renunciar a própria fé, a sacrificar aos deuses. Fiel a Deus e sustentado pela oração, diante de si ele tinha o seu grande amor: Deus. Sendo assim, ele for martirizado aos poucos, até mesmo levado à grelha, tendo seu corpo dilacerado, jogado numa prisão e, por fim, Darciano deixou-o num leito pedindo que cuidassem dele. Ali, sim, ele foi visitado por outros cristãos e entregou-se a Deus.

São Vicente tornou-se modelo para todos os cristãos e também padroeiro principal do patriarcado de Lisboa e também da diocese de Faro.

São Vicente, rogai por nós!


FONTE: Canção Nova

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

FORMAÇÃO




VOCAÇÃO PARA O CASAMENTO

Para isso, é preciso orientação e formação

Vivemos num contexto social de muitas "éticas" até confrontantes. As desculpas para não se seguirem valores inerentes à natureza e a verdades objetivas são muitas. A título de ser moderno ou não retrógrado passa-se, não raro, por cima da verdade e do direito em função do modismo ou da satisfação pessoal. Compromissos com valores da dignidade humana, da família, do sexo, do respeito aos indefesos, do meio ambiente e do bem comum ficam para os que são formados e assumem a altivez de caráter como valor acima de outros interesses.


Na ordem afetiva, sentimental e sexual se fica muito à mercê da propaganda e dos desejos impulsionados pela libido e pela sensorialidade. Tais desejos nem sempre são canalizados por valores que orientam a pessoa à consecução da felicidade como conjugação do prazer momentâneo e aquele da realização de um ideal de vida. Fixando-se mais no animalesco do que no sentido da vida plenificado com valores éticos, morais e sociais, a pessoa está sujeita à irracionalidade do uso e da busca do prazer momentâneo como sendo isso absoluto. Nessa direção, a pessoa se torna insaciável e não encontra no prazer momentâneo um sentido mais elevado e realizador da vida.


Na trilha e na busca de sentido para a convivência matrimonial, pode haver ledo engano de realização humana, quando homem e mulher não se unirem em vista de uma real vocação conjugal. O impulso para o casamento, baseado unicamente no sensorial ou no desejo de os dois se gratificarem na complementaridade afetiva e sexual, frequentemente pode ser rompido com algum desequilíbrio de doação de um pelo outro. Havendo, porém, em ambos, a consciência e o pacto de mútua ajuda para conseguirem um ideal de vida por motivo de um sentido de vida maior, dá-se base de fecundidade na vocação matrimonial. Para isso, é preciso orientação e formação para o valor do casamento como verdadeira vocação. Preparação para tanto é fundamental.


Caso contrário, viveremos cada vez mais a panacéia de uniões que não levam à realização das pessoas que se casam, com as consequências muitas vezes danosas para tantos filhos! Não à toa Jesus Cristo fala da união para sempre do casamento entre homem e mulher, para a busca da felicidade, que está num ideal de vida buscado perenemente. A bênção divina está no bojo de tal encaminhamento. Mas é preciso, nessa direção, haver preparação, vontade e responsabilidade de construção da vida a dois para valer.


Nada, assim, vai tirar o casal do sério de uma vida de amor e doação autênticos. Meios coadjuvantes para isso encontramos na ordem natural e sobrenatural: diálogo, compreensão, boa vontade, colaboração, valorização do outro, perdão, oração, meditação na Palavra de Deus, sacramentos, aceitação das observações do outro, aconselhamento…


Muitos são os obstáculos para que o amor matrimonial corra nessa perspectiva. A influência do paganismo, da mediocridade, a falta de formação e influência de grandes meios de comunicação materialistas dificultam a juventude a se pautar na vida por valores acima apresentados. Aliás, na sociedade vemos duas vocações de fundamental importância: a família e a política. Justamente para as duas há muita falta de preparo! As consequências são óbvias!


A Palavra de Deus nos auxilia para valorizarmos a vocação matrimonial: “Maridos, amai as vossas mulheres, como o Cristo amou a Igreja e se entregou por Ela… Assim é que o marido deve amar a sua mulher, como ao seu próprio corpo… Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher e os dois serão uma só carne” (Ef 5, 25.28.31).







Dom José Alberto Moura
Arcebispo de Montes Claros - MG

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura - 1Sm 18,6-9; 19,1-7Salmo - Sl 55Evangelho - Mc 3,7-12

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (Mc 3,7-12)

Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010
Santa Inês

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 7Jesus se retirou para a beira do mar, junto com seus discípulos. Muita gente da Galileia o seguia. 8E também muita gente da Judeia, de Jerusalém, da Idu­méia, do outro lado do Jordão, dos territórios de Tiro e Sidônia, foi até Jesus, porque tinham ouvido falar de tudo o que ele fazia. 9Então Jesus pediu aos discípulos que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão, para que não o comprimisse.
10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo. 11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés, gritando: “Tu és o Filho de Deus!” 12Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova