segunda-feira, 26 de abril de 2010

REFLEXÃO


EU SOU O BOM PASTOR E CUIDO DO MEU REBANHO


Queridos irmãos e irmãs, é com muita alegria que partilhamos hoje a liturgia do 4º domingo da páscoa.
"Eu Sou o bom pastor", disse Jesus aos ouvintes reunidos ao Seu redor.
Vamos lembrar algumas realidades a respeito desta comparação que Jesus faz entre nós e a um rebanho de ovelhas.
Devemos lembrar que a ovelha é o único animal criado por Deus, que não sabe viver sem ajuda de um homem. A todos os outros animais, quer da água, terra ou ar, Deus os fizeeram capazes de sobreviverem por seus próprios instintos, desde seus nascimentos. Como sempre acontece, os pais cuidam dos filhotes até que eles aprendem a se virarem sozinhos, por conta própria.
Às ovelhas, portanto, foi dada a necessidade de uma ajuda para poderem sobreviver e, por isso, nasceu a figura do pastor. Pastor é aquele que precisa fazer-se conhecido pelo rebanho, pois, é a partir da sua voz que as ovelhas entendem o que fazer. O que o pastor ensinar, as ovelhas seguem, sabendo que é para o seu próprio bem. Portanto, a figura do pastor é muito importante para o cuidado com o rebanho.
A ovelha, por si só, não distingue o que ela pode e não pode comer. Qualquer outro animal consegue distinguir o que é nocivo para ele; ou seja, uma vaca ou um cavalo, sabe distuinguir entre todos os tipos de capins, aqueles que são venenosos. Um peixe, em sua cadeia alimentar, não come um outro que não venha a lhe fazer bem; um elefante, mesmo morrendo de fome, não comerá outra coisa que não seja capim.
As ovelhas têm todas as características de fraqueza e total necessidade de cuidados especiais. Daí, podemos começar a entender o porque de Jesus nos considerar como ovelhas do Seu rebanho. Somos assim, como as ovelhas, totalmente necessitados de um pastor, mas não de qualquer um, pois como elas, precisamos conhecer íntimamente a voz de quem nos guia.
Porque chegamos ao ponto de não sabermos, como as ovelhas, distinguir o que é bom e ruim para nós? Este é outro fato relevante que precisamos refletir em nossa caminhada. Porque um animal qualquer, menos as ovelhas, é mais esperto do que nós? Isso não é nenhum mistério, pois o pecado original nos tirou toda a capacidade de vivermos por nós mesmos, já que perdemos a nossa natureza divina. Diferentemente das ovelhas, que foram criadas desse jeito, nós nascemos totalmente acima de todas as criaturas de Deus, tanto que Ele nos deu a capacidade de dominá-las. No entanto, perdemos esta capacidade de viver por nós mesmos e passamos a necessitar de um pastor para nos guiar. Não sabemos o que é veneno para nós, pois comemos de tudo que o mundo nos oferece. Não temos como nos defender do inimigo, pois não possuímos arma para nossa defesa.
Uma ovelha não distuingue o que quer que seja a mais de 5 metros de distância. Nós também, sem o pastor, não distuinguimos o que seja diante mesmo de nossos olhos.
Poderíamos ficar aqui buscando tantas outras situações para compreendermos com mais profundidade, mas deixamos para Jesus, no Seu Santo Espírito, nos revelar conforme a Sua Graça, tudo aquilo que nos faz abrir os olhos e o coração.
Se Jesus fala que Ele é o bom Pastor que conhece e cuida do Seu rebanho, devemos acreditar, pois, quem criou a ovelha é portador de todos os bens e sabe como ninguém daquilo que precisamos para viver plenamente a vida que ganhamos.
Uma ovelha nunca deixa se seguir o seu pastor, pois depende dele para tudo!
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!!
Carlos - Comunidade Católica Pedras Vivas

terça-feira, 20 de abril de 2010

SANTO DO DIA




SANTA EMA

19 de abril

Por parte de sua mãe, não existia testemunho e nem incentivo a santidade. O chamado que ela tinha no coração era ao matrimônio, então casou-se com o Conde Ludgero e teve um filho, o qual se abriu à vocação que Deus o chamava, e iluminado pelo testemunho da sua mãe Ema, se tornou sacerdote e depois bispo.

Ao ficar viúva, Ema discerniu e decidiu consagrar sua viuvez ao Senhor, numa vida de oração expressa na caridade. Muitos conventos e abadias foram construídas através de sua generosidade, porém ela viveu no meio da sociedade, administrando seus bens para o beneficio do próximo.

Santa Ema passou os últimos momentos de sua vida numa Abadia, após 40 anos de dedicação a Deus, falecendo em 1045.

Depois de muito tempo abriram seu túmulo, e encontraram o seu corpo todo em pó, exceto a sua mão direita estava intacta. Aquela mão que ela mais dava. Um sinal de que a santidade passa pela caridade.

Santa Ema, rogai por nós!


FONTE: Canção Nova

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Web TVCN

ESCOLHAS CERTAS, COMO FAZER?

< param name = "loop" value = "false" />

FONTE: Canção Nova

Web TVCN

ESCOLHAS CERTAS, COMO FAZER?

< param name = "loop" value = "false" />

FONTE: Canção Nova

ME ADCIONA

VOCÊ CONHECE O MEADICIONA?

Arquivado em: Programa Zoom — webtvcn at 4:30 pm on quarta-feira, abril 14, 2010



FONTE: Canção Nova

MENSAGEM DO DIA




DECRETANDO GUERRA AO PECADO

Você precisa agir como o jardineiro, que sempre vai ao canteiro arrancar o mato. Por mais bonito que seja o jardim, sempre há algum mato. Um canteiro bem afofado, preparado, regado, é terreno fértil para o bom crescimento da tiririca. Portanto, é preciso estar sempre atento. Há um provérbio chinês muito sábio que diz assim: “Não é a erva daninha que mata a planta, é a preguiça do agricultor”.

Porém, não adianta arrancar superficialmente a tiririca.Você tem de atingir o bulbo, a batata que gera toda a tiririca.É preciso que façamos isso em nossa vida. Continuamente, temos de decretar guerra ao pecado, ao usurpador do trono do nosso coração. Seja você quem for – homem ou mulher, jovem ou adulto –, não deve ceder à droga nenhuma, porque ela escraviza. Jogue fora o cigarro hoje mesmo, imediatamente.

Se for preciso, busque ajuda. Queira acabar com a droga que entrou em sua vida, porque ou você acaba com ela ou ela acaba com você. Você não pode continuar se embebedando, mesmo apenas nos fins de semana. A quem cedemos o trono do nosso coração? Ou é ao rei Jesus ou ao príncipe deste mundo. Não dá para brincar!

(Trecho extraído do livro “Céus Novos e uma Terra Nova” de Monsenhor Jonas Abib)

FONTE: canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 5,27b-32.40b-41 - Segunda leitura: Ap 5,11-14 - Salmo: Sl 29 - Evangelho: Jo 21,1-19

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 21,1-19)

Domingo, 18 de Abril de 2010
3º Domingo da Páscoa

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim:
2Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros dois discípulos de Jesus.
3Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”.
Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. 4Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. 5Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?”
Responderam: “Não”.
6Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e achareis”.
Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. 7Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!”
Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu sua roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar. 8Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes.
Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. 9Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão.
10Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”.
11Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu.
12Jesus disse-lhes: “Vinde comer”.
Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor. 13Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe.
14Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos. 15Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?”
Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”.
Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”.
16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?”
Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”.
Jesus lhe disse: “Apascenta as minhas ovelhas”.
17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?”
Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”.
Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas.
18Em verdade, em verdade te digo: quando eras jovem, tu cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”.
19Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.



- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




CRISTO NA GLÓRIA E NA IGREJA

Postado por: Padre Pacheco

18 de abril/2010

Muitas pessoas dizem acreditar em Jesus, mas não querem se comprometer com a comunidade da Igreja. Talvez até entre numa igreja bonita e espaçosa para, ao voltar do serviço, descansar um pouco, mas Igreja como comunidade não as atrai. Pretendem acreditar em Cristo, mas não querem saber da sua comunidade. Às vezes, vira até caricatura: invocam a ajuda de Cristo e de todos os santos para resolver uns probleminhas pessoais, mas não ligam para Sua grande obra, a comunidade que Ele fundou. Será Jesus apenas um quebra-galho para uso pessoal?

Conforme a liturgia de hoje, Jesus ressuscitado está misteriosamente presente na Igreja. O Evangelho conta como Cristo ressuscitado aparece aos apóstolos enquanto estes estão pescando, sem êxito, no lago de Genesaré. Sua presença os faz pescar grande número de peixes grandes – cento e cinquenta e três, imagem na multidão que, logo nos primeiros anos, aderiu a Cristo na Igreja. Na primeira leitura ouvimos o atrevido dos apóstolos, apesar de proibidos de falar no nome de Jesus. É no testemunho da Igreja que o Ressuscitado vive para o mundo. Querer ter Jesus sem a Igreja é como querer transportar água sem balde. E este Jesus é o Senhor glorioso, adorado por todos os santos dos céus, como nos mostra o Apocalipse (segunda leitura). Que Ele seja adorado assim na terra também.

Viver como cristão é viver da Palavra de Deus em Jesus Cristo. Esta Palavra é a instância suprema de nossa vida. Importa mais obedecer a Deus do que aos homens, diz Pedro às autoridades de Jerusalém que o querem proibir de anunciar o Cristo ressuscitado (cf. At 5,29).

Ora, a Igreja serve exatamente para guardar viva a Palavra de Jesus e a Sua presença no meio de nós. A Igreja não serve para si mesma ou para satisfazer a ambição dos padres; ela tampouco serve para construir ricos templos. A Igreja existe para dar a todos os seres humanos a oportunidade de conhecer Jesus morto e ressuscitado, de tomar refeição com Ele – como os Seus primeiros discípulos -, de acolher e cumprir Sua Palavra, sempre de novo traduzida e explicada conforme as exigências de cada momento. Ela existe para constituir comunidade, necessária para que o mandamento e o exemplo de amor deixados por Jesus sejam transmitidos e postos em prática, pois é impossível amar sozinho. A Igreja serve para fazer acontecer, sempre, no mundo, a prática de Jesus – na justiça e no amor eficaz ao próximo. Se ela fizer isso, ela partilhará para sempre a glória que Deus deu ao “Cordeiro”, por ter-se sacrificado por nós. Pois Deus ama o amor que dá a vida pelos outros. E quem faz isso, como Cristo, já vive um pouco o céu. A Igreja serve para nos ajudar nisso.

Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

FONTE: canção Nova

SANTO DO DIA




SANTO APOLÔNIO

18 de abril

Mártir

Santo do século II, era uma figura pública, um senador. Pôde assistir e se deixar tocar pelo testemunho de inúmeros mártires no tempo de Nero.

Ele percebia naqueles cristãos, que viviam dentro de um contexto pagão, o único e verdadeiro Deus presente naqueles martírios por amor a Cristo.

Já adulto, com a ajuda do Papa Eleutério, ele quis ser cristão e foi muto bem formado até chegar à graça do Batismo.

Apolônio, como muitos, ao se deparar com a lei de Nero, teve que se dizer, pois também foi denunciado.

Ele não renunciou a Jesus, mesmo ocupando uma alta posição na sociedade. Seu amor a Deus foi concreto.

Santo Apolônio é exemplo, para que sejamos testemunhas do amor de Deus, onde quer que estejamos, na profissão que exerçamos, com a idade que tenhamos.

Santo Apolônio, rogai por nós!
FONTE: Canção Nova

Web TVCN

A ESPERANÇA QUE CONSTRÓI A ALEGRIA - Pe. Fabio de Melo


FONTE: canção Nova

PRODUTOS CANÇÃO NOVA - ADQUIREM




APRENDENDO COM AS HISTÓRIA DE PE. LEO

POR: R$ 16,90

DetalhesNesse DVD estão reunidas as histórias que Pe. Léo contou com muita alegria.
De forma descontraída e divertida, Pe. Léo mostra como as pessoas devem estar próximas a Deus e seguir seus caminhos. São ensinamentos que vão tocar o seu coração.
Quem acompanhou Pe. Léo contando casos de vida, suas próprias experiências e testemunhos que trazem as lições certas para cada realidade, se surpreende com a sua capacidade de mostrar como o mundo material pode corromper as pessoas, tirar alegrias e influenciar na escolha dos caminhos a seguir.

São exemplos vividos e contados que fizeram de Pe. Léo um Sacerdote com ensinamentos a serem seguidos, baseados na Palavra de Deus e no seu vasto conhecimento adquirido durante o seu sacerdócio.


Ficha TécnicaFormato do Disco: DVD5
Fortmato de Tela: 4:3 (Tela Cheia)
Sistema de Cor: NTSC
Opção de Áudio: Dolby Digital 2.0
Idioma de Navegação: Português
Legendas: Sem Legenda
Tempo Total: 1h 22min (aprox.)
Classificação etária: Livre
FONTE: Canção Nova

PRODUTOS CANÇÃO NOVA - ADQUIREM

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 6,1-7 - Salmo: Sl 32 - Evangelho: Jo 6,16-21

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO: (João 6,16-21)

Sábado, 17 de Abril de 2010
2ª Semana da Páscoa

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. 17Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.
18Soprava um vento forte e o mar estava agitado. 19Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo.
20Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. 21Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




CORRESPONSABILIDADE DA IGREJA*

Postado por: Padre Pacheco

17 de abril/2010

A imagem ideal da primeira comunidade cristã de Jerusalém, traçada pelo autor dos Atos, apresenta hoje a sua primeira crise, como se deduz na primeira leitura. Nos sumários sobre a vida comunitária que precedem o episódio de hoje, diz-se que os crentes viviam todos unidos e pensavam e sentiam o mesmo, tinham tudo em comum e nenhum deles passava necessidades. Descrição idealizada que é o melhor testemunho no interior de uma comunidade: o amor fraterno, possível graças à força do Espírito de Jesus ressuscitado.

Contudo, hoje, fala-nos de um problema que assombra tanta bonança e vem colocar o contraponto do realismo. É o caso dos cristãos da comunidade de Jerusalém, que embora todos fossem judeus de raça, eram diferentes na língua e cultura. Uns eram judeus palestinos e outros eram judeus provenientes da diáspora e falavam grego, a língua comum do Império Romano no Médio Oriente. Pois bem, estes últimos expressam em voz alta uma queixa: as suas viúvas são discriminadas ao não serem atendidas devidamente na distribuição diária aos pobres.

Então os apóstolos propõem à comunidade, com agrado desta, que escolha sete homens exemplares para que assumam o cargo da administração, ficando assim eles livres para a oração e para o serviço da Palavra. Os sete eleitos têm nome grego. Apresentados aos doze, estes impõe-lhes as mãos orando. Surgiu assim um novo ministério eclesial, que mais tarde se identificou com o diaconato; se bem que os diáconos não se limitassem à administração, pois Estevão e Felipe aparecem ocupados também na evangelização.

Precisamos entender, definitivamente, que a Igreja é este corpo místico, na qual cada batizado é membro vivo deste corpo, cuja cabeça é o próprio Cristo; a alma que anima este corpo é o Espírito Santo. Devido àquilo que somos, por chamado de Deus, ou seja, Igreja, uma autoridade nos foi dada por Cristo; esta autoridade, na Igreja, chama-se serviço. Só é Igreja, só é membro da comunidade cristã, só faz uma experiência com o Ressuscitado, aquele que toma a decisão de viver o seu batismo; só aquele que é capaz de, decididamente, servir no amor aos irmãos, a começar pelos mais pobres e necessitados.

Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

*Cf. B, CABALLERO. A Palavra de cada dia. p. 199-200. Paulus: 2000.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SANTO ANICETO

17 de abril

Papa

Seu papado durou 11 anos. Isso no século II.
Se deparou com a heresia do Gnosticismo, o racionalismo cristão, uma supervalorização do conhecimento, onde bastava isso para a salvação. Com isso, os méritos de Cristo, os sacramentos e a graça do Senhor ficavam de lado.

Contou muito com a ajuda do filósofo cristão São Justino e do Bispo Policarpo. Auxiliado por esses doutores e com a graça de Deus combateram esse racionalismo.

A fé e a razão são duas asas que nos levam para a salvação, Jesus Cristo. Ele que é Caminho, verdade e a vida. E a vida do santo de hoje demonstrou que aí está a fonte da felicidade.

Santo Aniceto, rogai por nós!

FONTE: Canção Nova

sexta-feira, 16 de abril de 2010

QUINTA-FEIRA DE ADORAÇÃO

OBEDECER PRIMEIRO A DEUS



Padre Fabrício

É importante que a nossa participação na liturgia da Igreja não fique restrita apenas a um único dia. Quando o cristão vai participando da liturgia, a cada dia ele vai entendendo o desenrolar dos acontecimentos bíblicos.


Hoje, temos a sequência, na primeira leitura, do que aconteceu com os apóstolos após sua libertação da prisão. Eles foram ao Templo após terem sido libertos pelo anjo do Senhor, que lhes deu a seguinte ordem: “Ide falar ao povo, no Templo, sobre tudo o que se refere a este modo de viver” (cf. At 5,20).

A primeira característica de um apóstolo é ser um homem obediente. Os apóstolos obedeceram à ordem que o anjo lhes deu de pregar no Templo assim que saíssem da prisão.

A leitura de hoje é o que ocorre após este fato. Os apóstolos são novamente presos e conduzidos ao Sinédrio. Esta passagem mostra o Sumo Sacerdote como alguém que faz parte do partido dos saduceus. E isso é importante, pois os saduceus eram aqueles que não acreditavam na ressurreição dos mortos. Pedro, então, diante das ameaças daqueles homens, vai dar uma resposta que “bate de frente” com aquilo que os saduceus ensinavam:

"Naqueles dias, eles levaram os apóstolos e os apresentaram ao Sinédrio. O sumo sacerdote começou a interrogá-los, dizendo: “Nós tínhamos proibido expressamente que vós ensinásseis em nome de Jesus. Apesar disso, enchestes a cidade de Jerusalém com a vossa doutrina. E ainda nos quereis tornar responsáveis pela morte desse homem!” Então Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer a Deus, antes que aos homens. O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-o numa cruz” (At 5,27-30).

A grande surpresa é a resposta de Pedro, daquele que outrora negara Jesus por três vezes. Ele toma a frente diante das acusações dos saduceus e diz: “É mais importante obedecer a Deus do que aos homens”. E ele dá testemunho da ressurreição, porque sabia que isso era algo que incomodava aqueles homens.

Para um testemunho de defesa ser tido como válido eram necessárias duas testemunhas. E Pedro afirma: “E disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que a Ele obedecem” (At 5,32).

Olha aí o testemunho válido de duas testemunhas! O próprio Espírito Santo apoia e confirma o testemunho dos apóstolos.

O caminho para a ação do Espírito Santo é a obediência. A crise do mundo não é uma “crise de obediência”, mas sim uma crise em saber escolher o que é a prioridade. Nós obedecemos aos horários de trabalho, ao pagamento daquilo que é devido e assim por diante, mas o problema é a nossa falta de capacidade em saber escolher aquilo que é prioritário em nossa vida.

O grande problema não é que não obedecemos, mas sim em querermos obedecer àquilo que nos convém. Existe atualmente um povo, um segmento, um grupo que quer nos proibir de obedecer a Deus por primeiro. Eles dizem: “Que besteira esta coisa de obedecer a Deus! Você tem que ser feliz fazendo a sua vontade”.




'A primeira característica de um apóstolo é ser um homem obediente'
Foto: Wesley AlmeidaE o Evangelho de hoje nos diz que quem rejeita ao Filho não tem a vida eterna. Imagine você chegando aqui na Canção Nova, sendo muito bem-vindo e alguém, então, proíbe o seu filho de entrar com você? Você ficaria aqui se isso acontecesse? É evidente que não! Qual o pai ou a mãe que consegue ser simpático com alguém que não acolhe os seus filhos?

O mesmo se dá conosco muitas vezes, pois aceitamos os mandamentos de Deus “em parte”. Aceitamos Jesus pela metade. Dizemos: “Eu sou cristão, mas não aceito certas coisas que Jesus disse”. Isso é o mesmo que “serrar” o Senhor pela metade!

A ira de Deus permanece sobre aquele que rejeita Seu Filho. Aceitar o Filho não é somente dizer “eu acredito em Jesus”, mas é receber o “pacote completo” e não ficar com somente aquilo que Jesus ensinou e que lhe convém! Não existe uma terceira coluna. “Eu acho que sou cristão” ou “Eu acho que não sou”. Isso só traz falta de paz e insegurança. Como você acha que o Pai se sente ao ver-nos rejeitando o Seu Filho?

Aceitar Jesus pela metade é o mesmo que rejeitá-Lo. Quantos de nós sofremos na vida, porque vamos aceitando tudo pela metade. Quantos estragam o próprio casamento, porque o aceitam somente pela metade. Não assumiram o matrimônio por completo com todas as suas alegrias e exigências.

Há muitas pessoas por aí que “se fazem de infelizes”, mas continuam buscando a felicidade. A liturgia de hoje mostra o que a obediência é capaz de fazer na vida de um infeliz. É o Salmo de hoje: “Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido”. Você não quer ser ouvido por Deus? O grito, aqui, não é um sinal de histerismo, mas sim um pedido de socorro. Na “hora do aperto”, nós abrimos a boca e berramos mesmo. Este é o grito das nossas necessidades.

Olhe que maravilha: este infeliz deixou de ser infeliz. E sabe por quê? Porque ele falou com Deus. Mas e quanto a nós? O que fazemos quando passamos por problemas? Muitos vão ao bar ou fofocar com a vizinha sobre as suas angústias, mas o infeliz deste Salmo decidiu-se por falar com Deus. Eu prefiro ser um infeliz que é ouvido por Deus do que um “feliz” que está aí de braços cruzados, sem ter quem o escute, pois está gritando para o lado errado. É feliz quem tem o seu refúgio em Deus! E o Senhor, aqui neste Salmo, liberta este infeliz de todas suas angústias. Quantos de nós temos e conhecemos pessoas com o coração atribulado. E o Salmo aqui diz que o Senhor está perto daquele que tem o coração atribulado.





'Você tem de ser feliz fazendo a vontade de Deus'

Você conhece alguém que não tem alma? Porque o desanimado é aquele que não tem alma. Aqui do lado da nossa chácara [sede da Canção Nova] tem um cemitério. É ali que estão os desanimados. O desânimo é um ensaio para a morte. E Jesus não suporta alguém morto. Basta que Ele se aproxime do morto para que este ressuscite.

Atenção desanimados! Aquele que rejeita o Filho não tem a vida eterna e a ira de Deus permanece sobre ele. E quando a ira de Deus permanece sobre alguém é impossível que esta pessoa seja feliz. A Palavra de Deus é um convite a nos animarmos no Senhor. Buscamos a felicidade em tantas coisas e esquecemos que hoje Deus nos dá esta receita para a felicidade.

Corte de seu vocabulário a palavra “desânimo”. Tire de vez do seu linguajar os palavrões, as maldições, as palavras fúteis. Grite para Deus, pois Ele ouve os infelizes.

Precisamos hoje fazer esta experiência de colocar o Senhor em primeiro lugar, porque sempre teremos sofrimentos na vida, mas quando Ele permanece conosco, ao nosso lado, tudo se torna mais fácil e mais simples. Jesus tem o poder de nos ressuscitar. E hoje Ele quer ressuscitar também aqueles que estão vivos, mas que vivem como mortos por causa do desânimo.

Transcrição e adaptação: Alexandre de Oliveira

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 5,34-42 - Salmo: Sl 26 - Evangelho: Jo 6,1-15

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 6,1-15)

Sexta-Feira, 16 de Abril de 2010
2ª Semana da Páscoa

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. 2Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. 3Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com os seus discípulos. 4Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.
5Levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” 6Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. 7Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”.
8Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 9“Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” 10Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.
11Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. 12Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!”
13Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. 14Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”. 15Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




ESTAVA PRÓXIMA A PÁSCOA*

Postado por: Padre Pacheco

16 de abril/2010

A multiplicação dos pães é um dos grandes sinais de autorrevelação de Jesus que temos no Evangelho de São João. Como veremos em dias sucessivos, Cristo, partindo do pão material, multiplicado para a multidão faminta, deixa patente o Seu posterior discurso sobre o Pão da Vida, que Ele mesmo o é, o pão descido do céu e o pão Eucarístico – a Sua Carne e o Seu Sangue – que dá vida eterna ao que o recebe.

Do que antecede conclui-se que, na multiplicação dos pães, segundo o relato de João, além do plano histórico do fato em si, temos o nível teológico deste. Assim, por exemplo, o evangelista começa por fazer notar que estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus. Mas este ambiente pascal é mais que uma indicação pascal. Deste modo, a Sua Carne sacrificada será o alimento da nova Páscoa cristã.

Além desta perspectiva pascal, no sinal da multiplicação dos pães, podemos distinguir, entre outras, estas dimensões ou características: o seu valor messiânico, a sua intencionalidade Eucarística e a sua referência eclesial.

O valor messiânico da multiplicação dos pães depreende-se da sua condição de milagres que, como tal, anuncia a chegada do Reino e dos tempos messiânicos para os pobres de Deus, que O seguiam porque tinham visto os sinais – as curas – que fazia com os enfermos.

A intencionalidade Eucarística do ato torna-se visível na cena ritual e literária deste. Os gestos de Jesus antes da multiplicação são idênticos aos da Última Ceia: “Jesus tomou os pães, deu graças e repartiu-os pelos que estavam sentados”. Depois mandou recolher as sobras para que nada se desperdiçasse.

A referência eclesial dos pães radica na condição itinerante do novo povo de Deus, que é a Igreja. Se o maná foi o alimento de Israel, peregrino no deserto, o Pão da Vida, que é Jesus, será o que sacia a fome e a sede do novo povo de Deus ao longo dos séculos. Repartir o Pão Eucarístico é e continuará a ser obra confiada por Jesus à Sua Igreja, assim como a solidariedade com os que têm fome de “pão” em toda a sua amplitude: física, espiritual e afetiva.

Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

*Cf. B, CABALLERO. A Palavra de cada dia. p. 197-198. Paulus: 2000.
FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO BENEDITO JOSÉ LABRE

16 de abril

O santo de hoje enriqueceu a Igreja com sua pobreza. Nasceu na França, em 1748. Despertado muito cedo pela graça divina a uma entrega total, Benedito quis ser monge. Bateu em vários mosteiros, mas devido a sua frágil saúde não foi aceito.

Os 'nãos' recebidos o fizeram descobrir um modo específico de viver a vocação à santidade. Se tornou então um peregrino, um mendigo de Deus. Foi muito humilhado, mas foi peregrinando pelos santuários da Europa, oferecendo tudo pela conversão dos pecadores.

Benedito viveu da Divina Providência. Com 35 anos, consumido pela vida de oração e meditação, entrou na glória de Deus.

São Benedito José Labre, rogai por nós!



FONTE: Canção Nova

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Web TVCN

DJ GUTO ANIMA A MADRUDADA DOS 10 ANOS DO PHN



FONTE: Canção Nova

Web TVCN - MÚSICA

ZIZA FERNANDES "NADA TENHO"



FONTE: Canção Nova

Web TVCN

POR QUE ME FALTA PACIÊNCIA?



FONTE: Canção Nova

MENSAGEM DO DIA




ABRAMOS O CORAÇÃO PARA A FORÇA DA VIDA

Por: Luzia Santiago - Canção Nova

Deus amou e ama tanto cada um de nós, que tudo faz por nós, e não se cansa de bater na porta do nosso coração.

“Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, Eu com ele e ele Comigo” (Ap 3,20).

Acolher Jesus em nossa vida, é encontrar-nos a nós mesmos e o verdeiro sentido da vida.

Com certeza, todso os que se abrirem hoje a esta experiência ficarão maravilhados diante de tão grande amor, porque “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16).

Senhor, entra hoje na nossa vida, porque queremos experimentar verdadeiramente o Teu amor.

Jesus, eu confio em vós!

FONTE: Canção Nova

FORMAÇÕES




A ERA MODERNA E A ALMA SERENA

Não é pecado aproveitar as maravilhas do mundo moderno

Vivemos tempos de grandes 'milagres' modernos. Nunca o mundo viu tamanha velocidade de informação. Nunca se viu possibilidades técnicas tão avançadas como agora. Qualquer coisa que aconteça do outro lado do mundo é conhecido, quase ao mesmo tempo, pelo planeta todo. Basta um 'clique' com o mouse do computador para enviar a centenas de destinatários informações sobre guerras, atentados, tsunamis ou mortes.


O mundo vive seu apogeu científico: pesquisadores ousam romper o limite do ético e do biológico manuseando células-tronco e redescobrindo as nuances do código genético humano. Nunca como agora foi tão fácil conhecer culturas e pessoas geograficamente distantes e virtualmente presentes. É fácil para empresas virtuais arranjarem até 'casamentos' por encomenda! Somando as características de cada pretendente e calculando num software online a maior probabilidade de 'combinação' conjugal. Ultimamente ouve-se falar até de robôs tecnologicamente treinados para manifestar emoções.


Em contrapartida, nunca se viu um mundo tão caótico. Hoje, com um simples botão pode-se acender uma lâmpada em casa ou iniciar uma detonação atômica capaz de deflagrar a 3ª Guerra Mundial. O apelo da multidão chega a causar medo, fobias… é mais seguro e prazeroso perder horas navegando na Internet. No mundo virtual: uma coleção de amigos de Orkut, popularidade garantida! No mundo real: uma coleção de dias em solidão à frente de um computador. Nunca como agora se ouviu falar tanto de depressão, suicídio, perda do sentido da vida e apelo ao uso de drogas para driblar o tédio da modernidade.


Não é pecado aproveitar as maravilhas do mundo moderno. Deus não condena ninguém que tente, cientificamente, salvar vidas respeitando-as totalmente. Não há nada de errado em enriquecer-se conhecendo culturas e estreitando laços, virtuais ou não. O que, de fato, é contraditório é trocar o real pelo imaginário. É tolice trocar um abraço, enxugar uma lágrima de saudade por um "emoticon" do MSN. Com uma mensagem de celular posso escrever “eu te amo”, mas nada substitui a companhia fiel da pessoa amada nas horas difíceis da vida, de mãos dadas, lado a lado até que a morte os separe.


Por mais que a Era Pós-moderna nos maravilhe com suas descobertas, o homem continua sempre o mesmo: criado para amar e ser amado. Agostinho, santo católico que nasceu na África, convertido pelas lágrimas orantes de sua santa mãe, depois de 30 anos de libertinagem e boemia escreveu: “Senhor, tu nos fizeste e somos teus! E inquieto estará nosso coração enquanto não repousar em ti!” Ele tinha razão! Toda nossa curiosidade pela modernidade acaba sufocada pela sede interior que não quer calar…


Maravilhemo-nos com aquilo que a modernidade nos dá. Todavia, não nos esqueçamos de que as coisas da alma não se resolvem com um 'clique' ou um 'enter' de computador. É preciso algo mais. Alguém maior: Deus! Ele é o mesmo, ontem, hoje e sempre (cf. Heb 13,8)! Sempre moderno!


Deixe seu comentário



Seu irmão,


Padre Delton
http://blog.cancaonova.com/padredelton/
FONTE: Canção Nova

FORMAÇÕES




AJUSTANDO OS DESEJOS

'Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração'


Faz parte da vida humana estar, muitas vezes, sob a influência de fortes desejos. Tais estados de alma podem reforçar os grandes ideais, quando somam energias com os sonhos, que alimentam a nossa trajetória. Ter desejos é querer possuir; é predispor-se a gozar; é entregar-se a uma força que mal conseguimos manipular. Tem características de satisfação egoísta, embora persistam espaços para o altruísmo. Talvez a sã psicologia tenha descrições melhores a oferecer.


O que aqui apresento reveste-se apenas de fenômenos observados pela razão, que chamamos de bom senso. Logo abaixo quero reconhecer que existem, sim, desejos construtivos. Mas comecemos pelos desejos que nos travam e nos introduzem na parca produção, diante dos grandes deveres, de que estamos revestidos.


Há desejos que nos puxam para baixo e nos colocam em posição de correr atrás dos falsos valores. Vejamos, por exemplo, o desejo sexual que pode nos atormentar, em busca de amores impossíveis e contrários à ética cristã. Mas não é só a sexualidade que pode nos colocar em estado improdutivo. Também o desejo irrefreável do dinheiro, a “cobiça dos olhos”.


O mesmo se diga, com mais ênfase, sobre o desejo de prestígio a todo custo, da fama (muitas vezes não merecida), da perseguição contra pessoas que atrapalham. Jesus advertiu: “Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6, 21).


Os desejos amorosos de um casal, em santa união, podem ser poderosas alavancas para a concretização de sua vida familiar. Tais sentimentos se tornam convergentes. Lembro-me aqui também dessas almas privilegiadas, que envidam todos os esforços nas obras sociais. Ou mesmo, daqueles que querem ocupar posições de realce na sociedade, para fazer o bem e melhorar as condições do povo. Mas de forma alguma posso esquecer aquelas almas mais sublimes, como São Paulo, que se aproximam de Deus e não dividem seus desejos com falsos ídolos. Tais pessoas são os “puros de coração” cujos desejos estão fixados no essencial.


Esse é o ajustamento que todos devemos procurar. Jesus previu isso: “Eu, uma vez levantado [na cruz], atrairei todos a mim” (Jo 12, 32).


Dom Aloísio Roque Oppermann scj

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 5,27-33 - Salmo: Sl 33 - Evangelho: Jo 3,31-36

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 3,31-36)

Quinta-Feira, 15 de Abril de 2010
2ª Semana da Páscoa

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

31“Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. 32Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. 33Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. 34De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida.
35O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. 36Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




TESTEMUNHAS NA PERSEGUIÇÃO*

Postado por: Padre Machado

15 de abril/2010

Como em todo o processo era necessário o aval de duas testemunhas, os apóstolos apresentam-se a si mesmos como primeiras testemunhas e ao Espírito Santo como segunda. Assim testemunham a sua interpretação religiosa ao desígnio salvador de Deus por Cristo. Mas estão conscientes de que o Espírito não é monopólio do grupo apostólico; Deus concede-O a todo o que Lhe obedece. Dessa forma, também a comunidade cristã, enquanto Igreja, tem igualmente a responsabilidade de testemunhar Cristo ressuscitado. E assim o fizeram os autênticos cristãos de todos os tempos, já desde o princípio, por meio da caridade, da pobreza, da solidariedade humana, da alegria e, às vezes, do martírio de cada um.

O itinerário da perseguição religiosa repete-se ao longo da história. Tal como Jesus e os Seus apóstolos, os discípulos de Cristo têm sido, com frequência, objeto da inimizade dos homens, em especial dos que governam e dos poderosos. Mas a Igreja, a comunidade cristã, não deve temer as acusações do mundo se serve com fidelidade a causa de Cristo e do Seu Evangelho, porque o testemunho desta será confirmado pelo Espírito Santo de Deus.

São Paulo prevenia o seu discípulo Timóteo: Todo o que se proponha a viver cristãmente será perseguido. Porque os seus critérios e conduta destoarão necessariamente dos do mundo, submerso no mal, no egoísmo e no pecado.

A Celebração Eucarística, tal como os sacramentos do batismo e da reconciliação, é o momento por excelência em que participamos do mistério pascal, isto é, da Morte e Ressurreição de Cristo. Partilhando a Sua Palavra e o Seu Pão, que é o Seu Corpo glorioso, passamos continuamente da condição de pecadores à de penitentes. Embora o mundo nos sente no banco dos réus, sabemos que a vitória definitiva está com os que seguem Cristo, por meio da cruz, para a ressurreição.

Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

*Cf. B, CABALLERO. A Palavra de cada dia. p. 195-196. Paulus: 2000.

FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO CRESCENTE

15 de abril

Nasceu em Mira, na Ásia Menor. Crescente chorou muitas vezes quando percebia pessoas que se entregavam a religiões politeístas, de muitas divindades, longe daquele que é o único Senhor e Salvador: Jesus Cristo.

Seu esforço era o de levar a sua experiência. Primeiro através de uma oração de intercessão constante pela conversão de todos.

Certa vez, numa festa pagã aos deuses, ele se fez presente e movido pelo Espírito Santo, começou a evangelizar. Inimigos da fé cristã o levaram a um juiz, que propôs que ele "apenas" expressasse exteriormente o culto às divindades pagãs, com o objetivo de preservar sua vida.

Crescente desprezou a proposta, e foi martirizado por não negar Jesus Cristo.

São Crescente, rogai por nós!



FONTE: canção Nova

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Web TVCN

ESPERE PELA VIDA ETERNA - PNH


FONTE: Canção Nova

Web TVCN - MÚSICA

ELIANA RIBEIRO - CLIP EXCLUSIVO



FONTE: Canção Nova

Web TVCN - MÚSICA

SALETTE FERREIRA CANTA "ADORAÇÃO LOUVOR A TI"


FONTE: Canção Nova

Web TVCN

QUAIS SÃO AS SUAS DORES?

Reze com Salete Ferreira


FONTE: Canção Nova

FORMAÇÕES




QUER SER FELIZ?

Decida-se não parar diante das situações frustrantes

O ser humano constantemente busca a felicidade. Tudo o que as pessoas empreendem e visam tem como meta encontrar uma realização. Desde os gestos mais simples, como suprir as necessidades básicas, até os mais audaciosos projetos, são impulsionados pelo desejo de satisfação interior.

Essa procura pelo preenchimento da alma está inscrita no coração do homem. Deus nos fez para sermos felizes.


O Catecismo da Igreja Católica afirma: "Somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar" (CIC 27). É no Senhor que descobrimos a feliz vivência e a verdade acerca de todas as coisas, inclusive a nosso próprio respeito.


Em vários trechos da Sua Palavra, o Altíssimo nos dá princípios e ordens que nos orientam como proceder para sermos contagiados pelo bem-estar que vem d'Ele: "A alegria do Senhor será a vossa força" (Ne 8, 10); O Sermão da Montanha (Mt 5, 1-11); Honra teu pai e tua mãe para que sejas feliz e tenhas vida longa sobre a terra (Ef 6,2); e muitos outros.


Só desencaminha-se de tal desígnio divino aquele que procura ser feliz fora de Deus, que busca a sua própria verdade e realização (como se assim pudesse existir), motivado por uma noção inexata de como alcançar a felicidade. Em vez de construir uma Alegria incorruptível, procura gozo imediato sem projetar as consequências posteriores.


É essa a tentação que foi oferecida a Jesus no deserto (cf. Mt 4; Lc 4) e que também hoje o demônio usa para nos seduzir. Ele quer arrancar-nos a identidade através das ilusões do Ser, do Ter e do Poder, assim, cedemos aos impulsos que trarão satisfação apenas momentaneamente, colocamo-nos no lugar de deuses, perdemos a consciência da verdade a nosso respeito e consequentemente idolatramos aquilo que nos dá prazer.


Para vivermos a felicidade, desde já, é preciso renunciar a essas três tentações (ser, ter poder), trabalhando em nós virtudes que são inversas a elas, as quais nos restabelecem a verdade de sermos criaturas e de que somente em Deus obteremos a alegria.


São práticas contrárias às tentações:


O Louvor: palavras de agradecimento, de exaltação ao Senhor, que O colocam em primeiro plano na nossa vida, rendendo adoração Àquele que é e tudo pode em nós, por nós e em meio a nós. Louvar tira do ser humano a tentação do ser, pois só Deus é.


Mesmo em meio à tribulação louve, pois “todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam Deus” (Rm 8,28). Só um coração agradecido confia verdadeiramente nisso, pois louva a Deus diante de sua impotência e conta com o Deus Misericórdia, acreditando que mesmo do sofrimento algo de proveito virá.


Amaldiçoar nessa hora é não acreditar que o Senhor manifestará seu socorro.


Outro fator, é que aquele que não murmura, torna-se mais agradável no convívio com outras pessoas. Causam boa impressão onde passam. “A boca fala daquilo de que o coração está cheio” (Lc 6,45).


A Gratuidade: faça coisas sem esperar retribuição. Muitas das decepções que temos na vida vêm por esperarmos demais dos outros. Gratuidade liberta nosso coração de apegos e méritos, livra-nos da obrigação de recompensas, inclusive de nossas cobranças com nós mesmos. Quem não cobra do irmão, aprende a valorizar a pessoa em primeiro lugar a partir da experiência consigo.


Tenha iniciativa você, quando o outro não merece é sinal de que precisa ainda mais.


Agir com gratuidade é confiar na Divina Providência, já que proporciona o dom que se obteve de Deus em favor de quem está ao lado: “Recebestes de graça, de graça dai!” (Mt 10,8) e subtrai do coração a inclinação de ter.


O amor só é pleno quando é com gratuidade: “não é interesseiro, desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo” (I Cor 13, 5-6).


A Decisão: Aja para que sua felicidade aconteça. Tenha metas a pequeno, médio e longo prazo. A felicidade vem por meio de um projeto de vida. Se hoje não deu certo, não desista! Deus está nos seus sonhos. Sonhos podem ser o indicativo do Pai para a sua vocação.


Decida-se não parar diante das situações frustrantes. Isso comporta uma predisposição do coração em não se prostrar mediante os percalços e imprevistos do dia a dia. É natural ficar pesaroso diante de algo que venha a ferir os sentimentos, mas não se deve arrastar o problema ou supervalorizá-lo. O sofrimento tem que ser fecundo. Aprendemos com a dor. Mas tudo nesta vida passa! Nada permanece, a não ser Deus.


Lembre-se de que a pessoa que decide viver bem o seu dia, não se abate com alguns minutos que não foram favoráveis.


Decidir pela felicidade em Deus, investe contra o anseio de poder, pois busca motivos interiores para ser feliz e não se sujeita a estar bem por conquistar bens ou por ter pessoas subordinadas. É errônea a concepção de que só se é feliz quando se conquista algo.


Por fim, é possível não somente chegar à alegria terrena, na nossa natureza humana, como também ao júbilo espiritual, pois a felicidade é um dom para o ser humano no seu todo.


O Pai quer realizar-nos por completo, dando-nos a identidade de sermos filhos, que junto a Ele têm a posse do Seu Reino e de um dia podermos dividir da Sua glória. Aí está a verdade da felicidade.


Deus o abençoe.

Missionário Canção Nova

Sandro Ap. Arquejada
sandroarq@geracaophn.com

FONTE: Canção Nova

FORMAÇÕES




DEPRESSÃO TEM CURA


A medicina cuida do corpo e Deus cuida da alma

Depressão significa buraco. O Vaticano fez um congresso sobre esse assunto, porque eles estão preocupados com esse mal. Eu li o resumo do congresso e vi que são 300 milhões de pessoas no mundo que sofrem com esse mal. Precisamos tratar desse povo.

A medicina cuida do corpo e Deus cuida da alma. E a depressão é uma doença mais da alma que do corpo. E quem cuida da alma é o psicólogo e a religião. Essa enfermidade tem cura e a cura tem três caminhos:

- Procure um médico psiquiatra, ele pode dar remédio;

- É preciso um psicólogo para saber como se comportar diante das situações difíceis;

- O tratamento tem de ser físico e espiritual.

Não tenha medo de procurar os três tratamentos. A depressão é muito difícil de ser diagnosticada.

Uma pessoa deprimida pode apresentar: doença crônica, problema afetivo, falta de sentido para a vida, excesso de trabalho. Essas são causas. Mas o que ela sente? Muitos podem ser os sintomas da depressão, como: cansaço, pensamento de culpa, tristeza, autoestima baixa, falta de apetite, falta de vontade de rezar, fadiga, memória fraca, insônia, dificuldade para decidir, pensamento de morte, quedas de cabelo, entre outros.

O importante é saber que esse mal tem cura. Deus nos deu os psicólogos e temos também a família. Esta tem de cercar a pessoa e não deixá-la no buraco. Todos têm de se juntar e se unir.

Não adianta falar que a pessoa é fraca. Não importa por que ela está em depressão, você tem de tirá-la do buraco. Tem de ajuntar pai, mãe, irmãos, namorado, chamá-la para tomar um sol, sair, tomar um sorvete... Tem de tirar a pessoa do buraco com carinho e vagarosamente. É um ato de amor e caridade - e a família é importantíssima.

O deprimido tem de agir contra esse mal, ou seja, reagir, não pode se entregar à tristeza. Ele precisa cultivar a alegria e lutar para sair do buraco em que se encontra.

Como sair da depressão? Você tem de ver o valor que você tem. Só assim não ficará no fundo do poço. Só fica nesse local quem não dá valor a si mesmo. Você acredita que você é obra de Deus? Então, por que você deixa a obra d'Ele no buraco? Quem fica nesse lugar é lixo. E você é uma obra de Deus!

A primeira coisa que um deprimido tem de entender é que ele tem valor, que ele é alguém muito importante para Deus. Quando louvamos ao Senhor, damos voz e sentimentos a este mundo. Por que Jesus morreu na cruz? Por causa dos macacos, das galinhas? Não. Ele entregou a vida na cruz por causa de você, do valor que você tem. E Ele o ama individualmente. Nenhum de nós tem a mesma impressão digital, pois Deus não quis nos fazer em série, mas individualmente. A história do mundo é a história de cada um de nós. Ele sabe o meu nome, a minha angústia, a minha dor.

Quando Cristo morreu na cruz, Ele não carregava somente seus pecados, mas suas angústias e dores. Ele já venceu suas tendências, por isso você não precisa ficar deprimido por causa dos erros, pois Deus é "louco" de amor por você. Só o amor é mais forte que a dor e a morte. Olhe para a cruz e você verá o quanto Deus o ama.

Você quer a prova de que Deus o ama? Jesus disse que Ele pode ter 99 ovelhas, mas se tem uma perdida Ele deixa as 99 para buscar você. Se você é a ovelha deprimida, perdida, Ele larga as outras e vai buscar você.

Diga para sua depressão: "Eu não morrerei nesta depressão, porque sou filho de Deus - e filho de Deus não pode morrer no buraco!"

Não podemos abaixar a cabeça para a depressão. Se você perdeu um namorado e está com essa enfermidade, não olhe para o barulho do mar, olhe para Cristo. Para Deus não existe "beco sem saída". O Todo-poderoso está pronto para mover o céu a fim de que seu milagre possa acontecer, mas Ele não move um palha para fazer aquilo que você pode fazer.


Felipe Aquino
felipeaquino@cancaonova.com
Prof. Felipe Aquino, casado, 5 filhos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de Aprofundamentos no país e no exterior, já escreveu 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: "Escola da Fé" e "Trocando Idéias". Saiba mais em Blog do Professor Felipe
FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 5,17-26 - Salmo: Sl 33 - Evangelho: Jo 3,16-21

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 3,16-21)

Quarta-Feira, 14 de Abril de 2010
2ª Semana da Páscoa

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. 18Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito. 19Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. 20Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21Mas quem age conforme a verdade aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




UM DEUS APAIXONADO PELO HOMEM*

Postado por: Padre Pacheco

14 de abril/2010

Deus mantém a Sua oferta de amor, vida e salvação, embora com o risco do desprezo do homem, cuja liberdade respeita, inclusivamente na opção pelo pecado. Este não é senão a ruptura da aliança de amor, com o Senhor, a escolha das trevas e a atitude de onde brota o agir perversamente, isto é, as más obras.

Assim continua a expor o Evangelho de hoje: “O que crê no Filho de Deus não será julgado; o que não crê já está julgado, porque não acreditou no nome do Filho único de Deus”. A fé ou a incredulidade presentes contêm já uma antecipação do julgamento definitivo de Deus: a salvação ou a condenação, respectivamente. É a escatologia já realizada e atual, embora não final, própria do quarto Evangelho.

O que decide, em última instância, é a responsabilidade pessoal, ou seja, a aceitação ou rejeição de Cristo pela fé ou pela incredulidade, a opção pela luz ou pelas trevas, pela verdade ou pela mentira, pelo amor ou pelo egoísmo, pelo bem ou pelo mistério da incredulidade, que é o pecado.

Mas o fato de eu ser amado pessoalmente por Deus não me fecha num círculo à volta do qual cresce o desinteresse pelos outros. Pelo contrário, porque Deus ama o mundo e o homem tal como são, hei de sentir-me irmanado com eles. A nossa fé é vida e luz que se difundem, força positiva que cria otimismo, amor que se abre aos outros.

Se a mensagem deste dia da Páscoa nos deixa frios e indiferentes, soou o sinal de emergência espiritual: necessitamos de uma hospitalização urgente por alienação do bom senso e perda total da consciência religiosa, que nos impedem de captar a surpreendente novidade: a “loucura” de um Deus apaixonado pelo homem.

Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

*Cf. B, CABALLERO. A Palavra de cada dia. p. 193-194. Paulus: 2000.
FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SANTA LUDOVINA

14 de abril

Contemplamos a vida de uma santa holandesa, nascida no ano de 1380, dentro de uma família materialmente pobre, mas riquíssima na espiritualidade.

Ludovina era muito vivaz e cheia de brincadeiras, como qualquer criança, mas trazia em si o chamado a uma consagração total ao Senhor. Antes dos 15 anos de idade recebeu muitas propostas de casamento, mas por amor a Jesus, recusou a todas para ser fiel a Deus, porque sua vocação era uma vida consagrada.

Ela descobriu o dom da virgindade, decidindo-se pelo celibato muito cedo.

Após sofrer um acidente no gelo, coma apenas 15 anos, ficou praticamente paralisada. Uma cruz, que com a ajuda da família e de seu diretor, se uniu à cruz gloriosa de nosso Senhor. Ela se deixou instruir pela ciência da cruz.

Incompreendida por muitos, foi acusada de mentirosa e de ser castigada por Deus.

Ludovina deu a mesma resposta que Jesus deu no alto da cruz: a do amor e do perdão.

Passou 7 anos sem comer nem beber nada. Recebia como alimento, Jesus Eucarístico.

Em 1433 recebeu o prêmio da eternidade.
Que na cruz de cada dia, nos unamos cada vez mais à cruz gloriosa de nosso Senhor.

Santa Ludovina, rogai por nós!



FONTE: Canção Nova

terça-feira, 13 de abril de 2010

Web TVCN

THE FLANDERS NO SKY SENSATION



FONTE: Canção Nova

PADRE LEO - REMEMBER

CATÓLICOS E EVANGÉLICOS NA VISÃO DE PE. LEO



FONTE: Canção Nova

REDAÇÃO CANÇÃO NOVA - BLOG

O SEGREDO DE UM CASAMENTO FELIZ

É impossível um casal pedir perdão um para o outro e dizer “perdoe-me” sem chegar a Deus. Eles não vão chegar a este “perdão humano” se não tiverem a fonte do perdão do Senhor. Do mesmo modo, eles não conseguirão dizer “eu te amo” se não encherem seus corações de amor.

“Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus; e todo aquele que ama nasceu de Deus e O conhece. Quem não ama, não chegou a conhecer o Senhor, pois Ele é amor” (I Carta de São João 4,7-8).

Se vocês não estão alimentando a espiritualidade – e não adianta falar que a alimenta em casa, pois só há uma maneira de alimentá-la, que é a por meio da Eucaristia –, vocês não vão ficar juntos. É na Eucaristia, na mesa, na comunidade que o casal alimenta sua espiritualidade. Caso contrário, o casal vai deixando de alimentar o coração e a alma; e, em breve, estarão separados.

Nós sabemos o que significa um casal separado. Sabemos o quanto as crianças sofrem, também os adolescentes e adultos. Um casal que não experimenta a espiritualidade jamais saberá o que é o verdadeiro prazer sexual. Pode até saber o que é um prazer mundano, mas o prazer verdadeiro que toma conta da alma, não.

Um aspecto importante é que os casais cristãos precisam, com urgência, aprender a educar a alma um do outro. Por que é tão difícil ajudar o outro a crescer na sua alma? Por que é tão difícil, se você é capaz de dormir junto dele? O mundo de hoje se preocupa tanto com o corpo, mas se esquece da alma.

Trecho extraído da Palestra: “Aprendendo com as histórias do padre Léo”
Assista a esta palestra do Padre Léo:




FONTE: Canção Nova

ENTREVISTA

ENTREVISTA COM WALMIR ALENCAR


FONTE: Canção Nova

Web TVCN

QUAL O PAPEL DO JOVEM NA IGREJA?



FONTE: Canção Nova

Web TVCN

SANTO DE CALÇA JEANS


O DESAFIO DE SER JOVEM



FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 4,32-37 - Salmo: Sl 92 - Evangelho: Jo 3,7b-15

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 3,7b-15)

Terça-Feira, 13 de Abril de 2010
2ª Semana da Páscoa

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 7b“Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.
9Nicodemos perguntou: “Como é que isso pode acontecer?” 10Respondeu-lhe Jesus: “Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? 11Em verdade, em verdade, te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. 12Se não acreditais, quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? 13E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




UM SÓ CORAÇÃO*

Postado por: Padre Pacheco

13 de abril/2010

No livro dos Atos dos Apóstolos, percebemos uma comunidade com traços visíveis do Cristo ressuscitado, de uma comunidade animada, verdadeiramente, pelo Espírito. Eis alguns sinais:

Comunidade de fé à escuta da Palavra: o anúncio de Cristo, morto pelos nossos pecados e ressuscitado para nossa salvação, cria a comunidade de fé e constitui o centro vital desta, na qual se mantém a escuta da Palavra transmitida pelos apóstolos. Pois a fé nasce da mensagem e esta consiste no anúncio de Cristo. Além disso, a fé é vivida em comunidade, e não de modo independente e isolado. O que mantém o grupo cristão em coesão interna, presidido pelos seus pastores, é a fé em Cristo ressuscitado; e não a mera camaradagem, a amizade, a ideologia, um compromisso político e menos ainda um projeto econômico.

Comunidade de vida e amor: os crentes viviam unidos e possuíam tudo em comum; o fundo comunitário repartia-se segundo as necessidades de cada um. Amar é o essencial do Evangelho de Jesus, o seu mandato é o sinal dos Seus discípulos perante os outros.

Comunidade eucarística e de oração: eram assíduos na fração do pão e nas orações. A Eucaristia é a fonte e o ponto mais alto da vida comunitária e cultural; por isso desde o princípio, segundo o desejo de Jesus, a Ceia do Senhor celebrou-se em todas as igrejas da primeira cristandade. Sem Eucaristia viva e eficaz não pode haver comunidade cristã; a qualidade das nossas Eucaristias é a medida exata da valia da nossa oração comunitária.

Comunidade missionária: a missão é traço fundamental do grupo cristão. A missão expressa-se na evangelização, isto é, no anúncio e no testemunho de Cristo salvador, de quem nos vem a libertação do pecado e a reconciliação com Deus. Assim o praticaram desde o princípio os apóstolos e a comunidade, por mandato e envio de Jesus. O Espírito é o dom de Cristo ressuscitado ao seu povo, a Igreja, para a tarefa evangelizadora confiada ao grupo que herda e continua a missão do próprio Jesus: anunciar aos pobres a Boa Nova da libertação em todas as suas dimensões.

Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

*Cf. B, CABALLERO. A Palavra de cada dia. p. 191-192. Paulus: 2000.
FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SANTO HEMENEGILDO

13 de abril

Mártir

O santo de hoje era filho de um rei cristão ariano, ou seja, acreditava em Jesus Cristo verdadeiro homem, mas não verdadeiro Deus.

Por graça de Deus, através de sua esposa, Hermenegildo pôde tornar-se um cristão autêntico, da verdade.

Seu pai não o acolheu, porque este não aceitava o arianismo. Então o ameaçou e combateu em guerra.

Desprezando o perdão de seu filho, o rei mandou prendê-lo e o entregou aos algozes.

Santo Hermenegildo, pai de família, cristão católico, teve sua cabeça cortada a mandado do próprio pai.

Santo Hermenegildo, rogai por nós

FONTE: Canção Nova

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Web TVCN

A IMPORTÂNCIA DO TESTEMUNHO DOS PAIS



FONTE: Canção Nova

Web TVCN

ESTOU EM SINTONIA COM QUEM ESTÁ DO MEU LADO?


FONTE: Canção Nova

Web TVCN

QUAL O PAPEL DO HOMEM NO CASAMENTO?



FONTE: Canção Nova

SORRINDO PRA VIDA

O QUE DAMOS A DEUS RETORNA PARA NÓS COMO BENÇÃOS

Mensagem do missionário Dunga no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova, nesta segunda-feira, dia 12 de abril de 2010



Eu quero convidar você para abrir a Palavra de Deus no:
Evangelho de São Mateus 19,16..



DUNGA
Nós encontramos alguém que teve a ousadia de conversar com Jesus e Lhe perguntar o que muito de nós já fizemos na nossa vida: “O que fazer para entrar na vida eterna?". O Senhor disse a ele: Não roube, não mate, não deseje a mulher do próximo, enfim, Cristo lhe foi citando os Mandamentos de Deus. Jesus é muito misericordioso conosco e exigiu daquele jovem aquilo que exige de nós, porque tudo isso é para que sejamos felizes aqui na terra e também para que recebamos a vida eterna. O que Cristo nos pede é para usufruirmos.

Jesus nos pede algo que nos traz felicidade; Ele sempre vai nos pedir algo que, a princípio, nós damos, mas tudo o que Ele nos pede retorna para nós em forma de bênçãos.

A resposta daquele jovem foi incrível, pois ele disse que já observava as leis divinas e ainda perguntou o que mais lhe faltava. No entanto, o Senhor sempre vai além e responde: "Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me! ".

Para você ganhar a vida eterna, basta você respeitar o seu próximo. Nós começamos o nosso dia falando da Misericórdia Divina, falando sobre como eu e você devemos tratar o nosso próximo. Da mesma maneira que você tratar alguém, você será tratado e agindo assim o céu é garantido. Deus nos quer no céu, Ele nos quer discípulos para valer.


Dunga
Comunidade Canção Nova

Transcrição e adaptação: Célia Grego

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 4,23-31 - Salmo: Sl 2 - Evangelho: Jo 3,1-8

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 3,1-8)

Segunda-Feira, 12 de Abril de 2010
2ª Semana da Páscoa

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

1Havia um chefe judaico, membro do grupo dos fariseus, chamado Nicodemos, 2que foi ter com Jesus, de noite, e lhe disse: “Rabi, sabemos que vieste como mestre da parte de Deus. De fato, ninguém pode realizar os sinais que tu fazes, a não ser que Deus esteja com ele”.
3Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce do alto, não pode ver o Reino de Deus”. 4Nicodemos disse: “Como é que alguém pode nascer, se já é velho? Poderá entrar outra vez no ventre de sua mãe?”
5Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus. 6Quem nasce da carne é carne; quem nasce do Espírito é espírito 7Não te admires por eu haver dito: Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova

LITURGIA DIÁRIA - HOMILIA




NASCIDOS DE NOVO

Postado por: Padre Pacheco

12 de abril/2010

“Como o vento que sopra onde quer, assim é todo aquele que nasceu do Espírito” (cf. Jo 3, 8.9), diz Jesus a Nicodemos. Tão inútil e impossível é querer acorrentar o vento do Espírito, como querer conservar o vinho novo em odres velhos. Para o Espírito não há obstáculos, como vemos na primeira leitura de hoje, tirada do livros dos Atos.

Durante esta segunda semana da Páscoa, que hoje começa, e até o final do tempo pascal, continuaremos a ler os Atos dos Apóstolos, cujo autor é o mesmo do Evangelho de Lucas. No livro dos Atos temos, além da história da primeira expansão do Cristianismo, uma teologia da ação do Espírito e da Igreja missionária, que logo abriu o campo da sua missão não só aos judeus, mas também os pagãos.

Na primeira leitura de hoje vemos os apóstolos e a comunidade cristã reunidos em oração. O fato que a motivou a isso foi a perseguição desencadeada contra eles pelas autoridades judaicas, como explicam Pedro e João no seu regresso do sinédrio e da prisão. A jovem Igreja não pede ao Senhor para se ver livre da perseguição, pois sabe que esta continua o destino de Jesus, o Messias paciente, mas “valentia para anunciar a Palavra”. Ao terminar a oração, como prova de que Deus os ouvira, sucede um novo e segundo Pentecostes: “Tremeu o lugar onde estavam reunidos, e todos ficaram repletos do Espírito Santo e anunciavam com intrepidez a Palavra de Deus”.

Se estivermos atentos aos sinais da presença do Espírito poderemos ouvir a Sua voz. Ele nos guiará para onde Ele quiser, não para onde nós quisermos, graças à nova vida de Deus que se está gerando constantemente em nós. E o sinal de que nascemos do alto será vivermos e realizarmos com eficácia a Palavra e a mensagem de Jesus, como o fizeram os apóstolos.

Crer na Ressurreição de Cristo é descobrir o poder da vida sobre a morte; mais ainda, experimentá-lo pessoalmente até se entusiasmar com essa nova vida que nasce de Cristo ressuscitado. Porque com Ele o velho acabou; nasceu um mundo novo e uma humanidade nova.
Padre Pacheco
Comunidade Canção Nova

*Cf. B, CABALLERO. A Palavra de cada dia. p. 189-190. Paulus: 2000.
FONTE: Canção Nova

SANTO DO DIA




SÃO VÍTOR

12 de abril

Mártir

Nasceu na aldeia de Passos, perto de Braga – Portugal, onde viveu toda a sua juventude para Deus. Era catecúmeno, e se preparava para receber a graça do batismo.

Jovem muito dado, encontrou um grupo de pagãos que prestava culto a um ídolo. Eles o chamavam a adorar este ídolo, e ele se recusou. Então, Vitor foi levado diante do governador e questionado.

Por não renunciar a sua fé, foi preso numa árvore e flagelado. E em seguida, decapitado.

São Vitor foi fiel a Cristo em todos os momentos, entregando-se a Jesus desde a juventude.

São Vitor, rogai por nós!



FONTE: Canção Nova

domingo, 11 de abril de 2010

Web TVCN - PREGAÇÃO

PREPARADO PARA DIZER: "TUDO POSSO!" (Padre Fábio de Melo)



FONTE: Canção Nova

FORMAÇÕES




O TEMPO PASCAL

Cristo ressuscita naqueles que sabem partir o pão

Páscoa é passagem para uma situação melhor, da morte para vida, do pecado para graça, da escravidão para liberdade, baseado não em nossas forças, mas na fé em Jesus Cristo. Páscoa se dá não só no rito da Liturgia; deve acontecer em cada instante da vida do homem em busca da terra prometida, da vida nova da felicidade. O Tempo Pascal acontece do Domingo da Ressurreição até o Domingo de Pentecostes, por isso, cinquenta dias na presença do Ressuscitado nos preparando para receber o Espírito Santo prometido.


Nas leituras bíblicas, sobretudo nos Evangelhos do Tempo Pascal, percebemos que Jesus se dá a conhecer, que Ele ressuscita lá onde existe acolhimento, lá onde se presta serviço ao próximo. Podemos dizer que Cristo ressuscita lá onde se vive o novo mandamento do amor, da caridade. Primeiramente Jesus se dá a conhecer às mulheres que vão ao sepulcro para ungir com aromas o Seu Corpo. Jesus se dá a conhecer a Madalena, que vai em busca do Seu Corpo. O Senhor se manifesta a Pedro e a João que vão ao sepulcro. Jesus aparece à comunidade reunida no cenáculo. Tomé, que não está presente, não usufrui da presença do Senhor; tornando-se presente, no entanto, também O reconhece.




O Evangelho mais significativo nesta linha é certamente o Evangelho dos discípulos de Emaús (Cf. Lc 24, 13-35), aos quais Cristo se dá a conhecer pela Sua Palavra e pela fração do pão (Eucaristia). Os quais, a Seu exemplo, acolhem os irmãos na caridade e compartilham com eles sua vida, constituem o Cristo ressuscitado entre os homens. Cristo ressuscita os que andam à procura; Cristo ressuscita os que vivem os acontecimentos à luz da Escritura; Cristo ressuscita nos que acolhem e nos que servem; Cristo ressuscita nos que sabem partir o pão. À medida que existir entre os homens a atitude hospitaleira, isto é, de serviço, a exemplo dos discípulos de Emaús, Cristo vai ressuscitando através da história dos homens.


É preciso, pois, a exemplo de Cristo, partir o pão e servir, ou seja, colocar-se a serviço do próximo, tornando-se pão e alimento para a vida do mundo. Eis o sentido atual do milagre da multiplicação dos pães.


Cristo está ressuscitando em sua vida?


Quando os discípulos O reconhecem na fração do pão, Ele desaparece. Não é mais necessidade de Cristo permanecer entre os homens de maneira corpórea, pois Ele continua presente de maneira sacramental nos Seus discípulos, na Sua Igreja, naqueles que vivem o serviço do amor, pois o novo mandamento tudo renova, faz reviver todas as coisas.


“Ide dirá Ele, vós sereis minhas testemunhas até os confins da terra”. Vós sereis meus continuadores no meio dos homens. Isso vem expresso no que segue: “Levantaram na mesma hora e voltaram a Jerusalém. Eles, por sua vez, contaram o que havia acontecido no caminho e como o tinham reconhecido ao partir o pão” (Cf. Lc 24, 33-35).


Pela caridade os cristãos se apresentam no mundo como chagas do Cristo ressuscitado, no qual o homem, a exemplo de Tomé, poderá perceber e apalpar o amor de Cristo e n'Ele crer; e, acreditando, tenha a vida eterna. Cada cristão é convidado para se tornar presença do Cristo ressuscitado entre os irmãos, de tal sorte que os homens reconheçam Sua face na caridade do irmão.


Clique em comentários e diga: Tenho vivido como alguém ressuscitado em Cristo? Deixe os seus pedidos de oração.


Soltemos o nosso grito: ALELUIA! Pois Cristo ressuscitou e nos deu vida nova. Este é um canto litúrgico muito antigo, que se reza em todas as grandes solenidades de nossa fé, cantemos os louvores do Senhor:



Oração: Ó Deus, que fazeis crescer a vossa Igreja dando-lhe sempre novos filhos e filhas, concedei que por toda a sua vida estes vossos servos e servas sejam fiéis ao sacramento do batismo que receberam professando a fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.



Minha bênção fraterna+


Padre Luizinho
http://blog.cancaonova.com/padreluizinho

FONTE: Canção Nova

Web TVCN

CHEGOU O TEMPO DA MISERICÓRDIA




FONTE: Canção Nova

Web TVCN - MÚSICA

ELIANA RIBEIRO - "ENVIAI"



FONTE: Canção Nova

LITURGIA DO DIA

LITURGIA DIÁRIA

Primeira leitura: At 5,12-16 - Segunda leitura: Ap 1,9-11a.12-13.17-19 - Salmo: Sl 117 - Evangelho: Jo 20,19-31

LITURGIA DIÁRIA

EVANGELHO (João 20,19-31)

Domingo, 11 de Abril de 2010
2º Domingo da Páscoa Divina Misericórdia

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.
22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!”
Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”.
27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”.
28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!”
29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”
30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

FONTE: Canção Nova